Um dia após os protestos em toda internet contra os polêmicos projetos de lei antipirataria Stop Online Piracy Act (SOPA) e Protect IP Act (PIPA), que devem ser votados nas próximas semanas nos Estados Unidos, o FBI prendeu os fundadores e alguns funcionários do site de compartilhamento de arquivos Megaupload. Em represália, o grupo hacker Anonymous atacou a sites oficiais do governo americano e de instituições que apoiam as novas leis.

As prisões foram feitas pela polícia federal americana na quinta-feira, 20, no estado da Virgínia (EUA) e na Nova Zelândia, onde estava Kim Dotcom ou Kim Schmitz, como também é conhecido o CEO do Megaupload. A empresa foi acusada de causar prejuízos de US$ 500 milhões por permitir aos internautas o download de músicas e filmes não autorizados por gravadoras e estúdios. O site foi retirado do ar, sem previsão de retorno.

Ataque hacker

Em perfil no Twitter, o grupo hacker Anonymous declarou guerra ao site do FBI e assumiu a autoria de ataques a sites do governo. Por volta das 23h50 da quinta, a página da polícia e o do Departamento de Justiça (DOJ) dos Estados Unidos ficaram fora do ar por cerca de uma hora.

A ação também retirou do ar sites de instituições que apoiam os projetos de lei, que devem ser votados nas próximas semanas nos Estados Unidos. As novas leis criam regras rígidas para o compartilhamento de conteúdo online e dão poderes à Justiça dos EUA para fechar quaisquer sites suspeitos de pirataria. Algumas das atingidas foram a gravadora Universal Music, a Associação da Indústria Fonográfica dos Estados Unidos (RIAA, na sigla em inglês) e a Associação de Produtoras de Filmes dos Estados Unidos (MPAA, na sigla em inglês).

De acordo com o Anonymous, este foi o maior ataque já realizado pelo grupo, que contou com 5.635 participantes.

(Via Tiinside)

Anúncios