O ex-BBB Daniel, expulso do Big Brother Brasil 12 nesta semana após suspeita de que teria estuprado a modelo Monique, disse em depoimento à polícia que não conseguiu manter ereção ao trocar carícias com a participante do programa embaixo do edredom. O motivo, segundo ele, seria o fato de ter consumido bebidas alcoólicas em festa na madrugada de domingo passado (15). A informação é de fonte que teve acesso ao inquérito que corre em segredo de Justiça.

O R7 procurou Valéria Bansemer, uma das advogadasde Daniel, porém ela não foi encontrada para comentar o assunto.

O titular da Delegacia da Taquara (32 ª DP), Antonio Ricardo Nunes, disse nesta quarta que enviará para o ICCE (Instituto de Criminalística Carlos Éboli) imagens do BBB 12 para investigar a hipótese de estupro. O suposto crime teria ocorrido quando ela estava inconsciente após ter ingerido grande quantidade de bebida alcoólica durante a festa.

– Em cima das imagens, [a perícia] vai dizer se houve relação sexual ou se não houve relação sexual. Mesmo por debaixo do edredom há uma sugestão de relação sexual.

De acordo com Nunes, a gravação das imagens, a cueca de Daniel, a calcinha de Monique, além das roupas da cama onde eles dormiram serão enviadas nesta quarta ao ICCE. O delegado disse ter consultado o instituto, que confirmou que é possível concluir pelas imagens se houve ato sexual.

Os dois negaram o estupro em seus depoimentos na terça-feira passada (17), quando a equipe da Polícia Civil esteve no Projac, na zona oeste do Rio.

De acordo com o artigo 225 da lei 8.072, que trata de crimes hediondos, quando a pessoa se encontra em situação vulnerável, a ação criminal pode ser feita mesmo sem o consentimento da vítima.

– O inquérito segue sem a manifestação da vítima. Em caso de estupros de vulnerável a vítima não é qualificada para dar queixa ou não. Trata-se de ação penal pública incondicional.

Ex-BBB rejeita a oferta de advogado feita pela Rede Globo:

O ex-BBB Daniel, expulso do reality show após suspeita de ter praticado abuso sexual contra a modelo Monique, rejeitou a oferta de advogado feita pela Rede Globo e contratou uma equipe para defendê-lo. Na quinta-feira (19), os defensores prometem uma entrevista coletiva no centro do Rio para revelar a estratégia de defesa, ocasião em que o ex-BBB deve estar presente.

Uma das advogadas de Daniel, Adileia Triani esteve nesta quarta-feira (18) na Delegacia da Taquera (32ª DP), na zona oeste da capital fluminense, para ter acesso ao inquérito que investiga suspeita de abuso sexual.

Adileia informou que Daniel está preocupado com sua imagem, já que trabalha como modelo. Ela não fez comentários sobre o inquérito, porque a investigação corre sob segredo de justiça.

A advogada Valéria Bansemer confirmou as informações ao R7. A família de Daniel preferiu não comentar.

(PORTAL R7)


Anúncios