Por Eduardo Cruz, do MMA, Mano a Mano – Terra Magazine

O UFC 142 já faz parte da história do MMA nacional como um dos eventos mais emocionantes já vistos no Brasil, isso porque aconteceram fatos inéditos no evento realizado no HSBC Arena, no Rio de Janeiro.

A pesagem foi marcada pela atitude anti-profissional de Anthony Johnson, que se apresentou cinco quilos acima dos limite de 84kg da categoria peso médio. O atleta perdeu vinte por cento da bolsa e foi demitido após ter sido derrotado por Vitor Belfort na co-luta principal do evento.

 

Belfort defende queda de Johnson (Foto: UFC)

Edson Barbosa Jr protagonizou um dos momentos mais inesquecíveis das artes marciais mistas aos dois minutos e dois segundos do terceiro round de sua luta contra Terry Etim. O brasileiro se tornou o primeiro homem a aplicar um nocaute com um chute giratório que acertou em cheio o queixo do adversário, que caiu desmaiado.

 

Edson e o KO inédito (Foto: UFC)

José Aldo Junior defendeu com sucesso o cinturão peso pena do Ultimate Fighting Championship. O manauara travou um combate equilibrado com troca de chutes até ter sido levado por Chad Mendes de encontro às grades. Em movimento rápido, o campeão se esquivou do clinche e conectou uma joelhada no momento em que o americano buscava a queda. Aldo desferiu mais dois socos até a interrupção do árbitro do combate.

O nocaute só não foi mais incrível do que a comemoração do atleta da Nova União, que entrou escoltado pelos policiais do BOPE-RJ. “Scarface” deixou o octógono e literalmente foi para os braços do público presente a arena do espetáculo. Até o presidente Dana White elogiou a celebração do atleta ao dizer que ele escolheu o momento certo para realizá-la.

As ring girls Arianny Celeste e Chandella Powell caíram no samba na quadra da Mangueira ao lado do campeão peso pesado Junior “Cigano” dos Santos. Apesar de não terem demonstrado a mesma ginga das cariocas, e nem poderiam, as belas distribuíram simpatia e posaram para fotos com uma fila de fãs que foram prestigiar as americanas na quadra da escola.

Quem também brilhou em sua passagem pela cidade maravilhosa foi o campeão meio-pesado Jon Jones. O número um do mundo até 93kg assistiu o evento com uma camisa da seleção brasileira de futebol que levava seu nome nas costas. “Bones” foi mostrado pelas câmeras e aproveitou para convocar a plateia que o atendeu imediatamente, protagonizando instantes de histeria dos fãs que ainda o viram levantar uma bandeira do Brasil.

Em sua conta no twitter, ele escreveu: “Não consigo parar de pensar na minha viagem ao Brasil. Nunca vi tanta natureza e pessoas bonitas. A hospitalidade foi demais. Senti que toda a cidade do Rio sabia quem eu era. As pessoas me abraçavam e beijavam. Que experiência inesquecível”.

O respeito e o carinho do público provaram que a rivalidade entre os lutadores é mantida dentro do octógono. Apesar de ter derrotado os ídolos brasileiros Maurício Shogun e Lyoto Machida, Johny Bones foi tratado como o grande astro que é e inclusive declarou que gostaria de lutar no Brasil desde que não seja contra um atleta local.

Link:

http://manoamano.blog.terra.com.br/2012/01/16/coisas-que-so-acontecem-no-ufc-rio/