Jovem de 24 anos, Tariku Bekele venceu a 87ª Corrida Internacional de São Silvestre. Ao longo da segunda metade da corrida, o etíope seguiu liderando a competição, acompanhado apenas da forte chuva e da moto, que faz parte da estrutura da organização. A etiópia não vencia desde 2001, mas agora volta a comemorar o primeiro lugar do pódio na São Silvestre. Melhor brasileiro na prova foi Damião Ancelmo de Souza, em sétimo, e Marílson Gomes dos Santos, brasileiro que buscava tetracampeonato, terminou em oitavo lugar.

Logo após a largada, a chuva ficou mais forte. Na primeira descida da prova, já parte do novo percurso da São Silvestre, na rua Major Natanael, os corredores aceleram mesmo com o piso molhado. Kisorio Matthew, o tricampeão da maratona de Londres, Martin Lel, outro queniano, o Mark Korir, seguiram desde o início puxando o ritmo no primeiro pelotão. Neste também estava Marílson seguindo os primeiros quilômetros na cola dos estrangeiros.

O etíope Tariku Bekele e os três quenianos Barnabas Kosgei, Martin Lel e Mark Korir, no entanto, abriram distância dos outros corredores e seguiram ditando o ritmo da prova. Perto dos 7km do trajeto, o primeiro pelotão formado pelos quatro africanos abriu mais de 120 metros de Marílson Gomes dos Santos. O ritmo dos corredores se manteve próximo aos 20 km/h.

Após a metade da prova, o etíope Tariku Bekele se destacou dos outros africanos e assumiu a liderança, sob chuva cada vez mais forte. De fato, uma tempestade. Aos 10km de prova, Bekele mantinha ritmo muito forte, acima de 20km/h, enquanto Marílson enfrentava as dificuldades da prova próximo ao outro brasileiro, Damião Ancelmo de Souza.

No quilômetro 12, os dois companheiros de Bekele na São Silvestre eram as motos, que acompanham os líderes. Nem a subida da Brigadeiro Luis Antônio deteve o etíope. O segundo colocado era o queniano Mark Korir. Mas Bekele demonstrou estar focado na vitória, alcançando a marca de 26 km/h, perto dos 38 minutos de prova.

Já no Ibirapuera, a vitória de Bekele era certa. O etíope não chegou a bater o recorde da prova, fazendo o tempo de 43m35s. Em segundo lugar, o queniano Mark Korir, com 43m58s, seguido de outro queniano, Matthew Kisorio. Completam o pódio Martin Lel, em quarto, e Najin El Qad.

Os melhores brasileiro na prova foram Damião Ancelmo de Souza, em sétimo, e Marílson Gomes dos Santos, que terminou a competição em oitavo. As informações são do GloboEsporte.

(CORREIO DA BAHIA)

Anúncios