Segundo a Prefeitura, até agosto de 2012 o programa Vila do Mar estará concluído com todas as intervenções

FOTO: KID JÚNIOR
O mirante possui 200 metros de extensão. O espaço corresponde ao primeiro trecho da obra de requalificação e urbanização do Litoral Oeste - Foto: Kid Jr.

O primeiro dos 16 equipamentos públicos que integram o Programa de urbanização e requalificação da orla marítima do Litoral Oeste de Fortaleza, Vila do Mar, foi entregue, ontem à população. Em solenidade que contou com show musical, acontecida, ontem, no bairro Cristo Redentor, a prefeita Luizianne Lins inaugurou o Mirante Rosa dos Ventos.

O mirante que tem 200 metros de extensão, bancos, iluminação pública, caramanchão de madeira e uma rosa dos ventos, corresponde ao primeiro trecho da obra. Ele fica na Avenida Vila do Mar, no Trecho 1, entre o Polo de Lazer da Barra do Ceará e a Avenida Doutor Theberge.

Já são três quilômetros, de um total de 5,5 Km, em fase de conclusão. Este é um espaço de contemplação que o público pode utilizar para apreciar a bela vista do mar, o pôr e nascer do sol e ver toda a extensão do Litoral Oeste, da Praia de Iracema e da Beira-Mar de Fortaleza.

Ao discursar em tom de entusiasmo pela entrega do mirante, Luizianne disse que esta é apenas a primeira de uma série de inaugurações que promoverá nesta região da cidade.

“A Vila do Mar, enquanto vila, representa um espaço de vida, cuja área foi tomada há mais de 50 anos do povo da região do Pirambu, Cristo Redentor e da Barra do Ceará e agora está sendo resgatada em nome de uma população que tem dignidade”.

A prefeita também criticou a quem fomentou a “apartação social”, nomeando a Beira-Mar dos ricos e a Beira-Mar dos pobres. “Não existe Beira-Mar do Pirambu, nem tão pouco Beira- Mar da elite, existe sim a Beira- Mar de Fortaleza”. Luizianne reafirmou que é sua obrigação fazer primeiro por quem tem menos, quem está precisando e quem não se encontra morando adequadamente.

As obras de urbanização e requalificação ambiental do Programa Vila do Mar, que contemplam uma avenida litorânea, ciclovia, calçadões, praças de convivência, quadras poliesportivas, centros de artes e ofícios, anfiteatro, memorial, saneamento ambiental, proteção de encostas, engorda de praias e erradicação de áreas de risco, já avançaram em três quilômetros de extensão.

Além da urbanização no Litoral Oeste de Fortaleza, o Vila do Mar está construindo 1.434 unidades habitacionais para o reassentamento de famílias residentes em Áreas de Preservação Permanente e nas seis áreas de risco existentes. O programa vai realizar ainda 1.650 melhorias habitacionais e 7.010 ações de regularização fundiária.

O projeto de urbanização conta com investimentos previstos na ordem de R$ 142 milhões oriundos das esferas federal, estadual e municipal.

Bairro espera por novas conquistas

O ano de 2012 está chegando e as expectativas de quem mora ou trabalha na Barra do Ceará e no Pirambu são as melhores possíveis por conta das mudanças que o Projeto Vila do Mar está trazendo para esses locais.

“Foi uma campanha de 25 anos para que todas essas melhorias chegasse em nosso bairro. Antes, tínhamos dificuldade até para chegar na praia. Lutamos muito por isso”, explica o presidente da Associação dos Barraqueiros da Barra do Ceará, José Fernando Pereira Lima.

Ele acrescenta que a orla da Barra do Ceará vai receber 33 novas barracas de praia equipadas para receber os banhistas. A inauguração acontece no dia 16 de janeiro. “Estamos vendo o bairro de uma outra forma devido aos novos projetos”.

Além disso, os donos das barracas prometem mudar os seus cardápios para atender a todos os gostos. Quem trabalha no local passará por um curso de qualificação para atender o público.

Segundo Lima, foram feitas várias reuniões entre os barraqueiros e a Prefeitura de Fortaleza para que o projeto ficasse o melhor possível e atendesse às exigências do Ministério Público Federal (MPF).

Para a presidente da Federação do Movimento Comunitário do Pirambu, Maria Dalva dos Santos, o bairro deu um salto de qualidade devido à chegada do Vila do Mar. “O projeto veio de encontro com as necessidade de quem mora no Pirambu”, diz.

Maria Dalva comenta que, no início, algumas famílias ficaram receosas com as mudanças. Mas depois de reuniões com a Prefeitura, elas viram a possibilidade de sair da faixa da pobreza e conquistar algo melhor.

(DIÁRIO DO NORDESTE)

Anúncios