Um carcinoma papilar foi detectado no lóbulo direito da presidente argentina Cristina Kirchner, que deve ser operada no dia 4 de janeiro, informou nesta terça-feira (27/12) o secretário de Comunicação da Casa Rosada, Alfredo Scoccimarro.

“Foi detectada a existência de um carcinoma papilar no glóbulo direito da glândula tiróide. Hoje foi constatada a ausência de comprometimento dos gânglios linfáticos e a inexistência de metástase. A localização da doença se encontra circunscrita à glândula”, detalhou o secretário.

Segundo ele, Cristina Kirchner será submetida a uma cirurgia programada para o dia 4 de janeiro, no Hospital Austral, e deve ser internada por 72 horas após a operação. A intervenção deve ser realizada pelo chefe de cirurgia da unidade médica, Pedro Saco.

A presidente argentina tirará licença por 20 dias, período em que o poder Executivo do país estará a cargo do vice-presidente Amado Boudou.

Este é o quinto caso de câncer em presidentes da América Latina. A mesma doença já acometeu os presidentes Hugo Chávez, da Venezuela, Fernando Lugo, do Paraguai, e Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, do Brasil.

(OPERA MUNDI)

Anúncios