Anderson Nunes comentou na revista americana “Forbes” que os brasileiros parecem ter se esquecido dos problemas políticos como a corrupção, e que na noite desta quinta-feira, desde que foi noticiado que a apresentadora Fátima Bernardes vai sair do “Jornal Nacional”, o assunto não é outro no país.

Anderson contou que Fátima trabalha com William Bonner há 14 anos, que ela já tinha atingido o auge de sua carreira como jornalista e que seria um grande desafio mudar sua estrutura para se aventurar em um programa estilo o da apresentadora Oprah Winfrey. Ele acredita que Fátima, por ser conhecida como uma jornalista amada pelos brasileiros, vai encontrar receptividade dos telespectadores para seu novo programa.

“O objetivo da Globo é transformar Bernardes em uma versão brasileira de Oprah Winfrey”, declara o blogueiro especialista em TV, Daniel Castro. Foi com essa declaração que Anderson exemplificou como a Globo, que está em processo de internacionalização, pode se beneficiar com esse projeto.

“Se ela vai usar os sapatos que a Oprah usa, bem, isso é completamente diferente”, brincou o autor.

Nunes lembrou que a emissora está em processo de globalização e seria de suma importância investir em uma estrela top para apresentar um programa com o estilo menos rígido e com pitadas de entretenimento, diferente do Jornal Nacional.

Ainda foi dito a importância do jornal para a emissora e a posição do Jornal Nacional em relação à audiência, que passa de 30 milhões de telespectadores.

(PORTAL DO SIDNEY REZENDE)