O município de Fortaleza tem 61,8% de sua população composta por pessoas pretas e pardas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Laboratório de Análises Econômicas, Históricas Sociais e Estatísticas das Relações Públicas (Laeser). De acordo com o IBGE, os pretos e partos fazem parte dos cinco grupos de “Cor ou Raça” que compõem a população brasileira junto com brancos, amarelos e indígenas.

O número de pretos e pardos em Fortaleza é de 1.514.103, sendo a principal cidade do Ceará com habitantes pertencentes a este grupo. Caucaia é o segundo com 228.032 e Juazeiro do Norte vem em terceiro com 163.578 pretos e partos.

Fortaleza faz parte dos 10 maiores municípios em presença preta e parda em número de pessoas. Segundo o IBGE, só perde para São Paulo (4.169.301), Rio de Janeiro (3.031.301) e Salvador (2.126.261). Em comparação com o ano 2000, a classificação das cidades se manteve inalterada, com exceção da inversão de lugar entre Belo Horizonte e Manaus, que ocupavam no início da década passada, respectivamente, o sexto e o sétimo lugar.

Pardos

O número de pardos em Fortaleza é bem superior ao número de negros. Segundo a pesquisa do Laeser são 1.403.292 pessoas de raça parda na capital cearense. Com este número, Fortaleza é o terceiro maior município do Brasil em número de pessoas pardas.

Crescimento

No ano de 2010 o IBGE registrou 190,8 milhões de pessoas residindo no Brasil, destes, 96,8 milhões se autodeclaravam pretos e pardos. No intervalo de 10 anos, a proporção deste grupo no País cresceu 6%.

O aumento no números de pretos e partos residentes do Brasil, segundo o IBGE, espelha transformações sociais, culturais, comportamentais, e políticas no seio da sociedade, e que encorajam milhões de brasileiros a se conhecerem fisicamente como parte do grupo comumente estigmatizado.

(Diário do Nordeste)