Alguns alunos se vestiram de preto em referência ao "luto da educação" (Foto: André Teixeira/G1)

O protesto “Enemganados” reuniu cerca de 300 estudantes de escolas públicas e privadas de Fortaleza nesta sexta-feira (28) na Praça da Imprensa. O evento foi marcado em redes sociais após a suspeita de antecipação de 14 questões do Enem, usadas em apostilas distribuídas pelo colégio Christus, da capital cearense.

Os alunos se sentem prejudicados no exame e pedem a anulação das 14 questões antecipadas pela escola particular de Fortaleza. “Não foram só os alunos do Christus que tiveram acesso, vários colegas meus também, mas eu não. E meu ingresso em uma faculdade pode ser derrubado por causa de erro”, protesta a aluna Ana Cristina, pré-universitária.

Parte dos alunos se vestiu de preto, em referência ao “luto da educação”. “Todo ano o Enem tem problemas, ele é muito frágil”, diz o estudante Gabriel Victor, do 2º ano. Gabriel vai fazer Enem no próximo ano e teme que ocorra outro erro no exame nacional. “Estamos aqui protestando para que isso não volte a acontecer”, diz Gabriel.

Os alunos pedem melhoria na educação do Brasil e exigem que o Governo Federal reserve 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação. Atualmente 5% do PIB nacional é voltado para a educação no Brasil.

O protesto foi marcado pela rede social Facebook pelo estudante Lorenzzo Marcelo, de 17 anos. “O protesto tomou proporção maior do que a esperada. Por isso chamamos apoio do DCE [Diretório Central dos Estudantes] das universidades federal e estadual do Ceará”, afirma.

(G1 CEARÁ)

Anúncios