O Bradesco teve lucro líquido de R$ 2,815 bilhões no terceiro trimestre, um crescimento de 11,4% em relação ao mesmo período de 2010, anunciou o banco nesta quarta-feira.

Apesar de maior, o resultado ficou abaixo da previsão média de analistas consultados pela Reuters de lucro de R$ 2,871 bilhões no período

Para o período de janeiro a setembro, o Bradesco reportou lucro ajustado de R$ 8,427 bilhões, alta de 18,4% em relação ao mesmo período de 2010, quando o banco teve ganhos de R$ 7,12 bilhões.

Do total lucrado, R$ 6,086 bilhões (72,2%) corresponderam a atividades financeiras, enquanto R$ 2,341 (27,8%) bilhões foram gerados por atividades de seguros, previdência e capitalização.

A carteira de crédito expandida em setembro atingiu R$ 332,335 bilhões, alta de 22% em 12 meses. No período, as operações com pessoas físicas cresceram 13,3% e totalizaram R$ 105,389 bilhões, enquanto as operações com pessoas jurídicas se expandiram 26,5%, para R$ 226,946 bilhões.

Os ativos totais estavam R$ 722,289 bilhões no fim de setembro, alta de 18% frente a um ano antes.

O banco informou ainda no balanço que, em 30 de setembro, seu valor de mercado somava R$ 96,682 bilhões, queda de 15,6% frente ao mesmo período de 2010, enquanto seu patrimônio líquido somou R$ 53,742 bilhões, um crescimento de 16,5% em relação a 2010.

Segundo o Bradesco, o índice de inadimplência superior a 90 dias atingiu 3,8% e se manteve estável frente a 2010. O banco inaugurou 451 agências nos últimos 12 meses, sendo que 271 delas nos últimos três meses.

(IG Economia)