A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Travestis (ABLGT) entrou com uma solicitação para que o Ministério Público Federal (MPF) tome providências em relação ao programa apresentado pelo pastor Silas Malafaia.

A entidade justifica o seu pedido afirmando que Malafaia incita “a violência contra a população LGBT”. A Associação ressalta que nos “últimos tempos a violência contra LGBT tem sido recorrente” e cita os recentes ataques na Avenida Paulista, em São Paulo, e afirma que atitudes como a do pastor contribuem para o “aumento da violência homofóbica”.

A ABGLT argumenta também que o programa “Vitória em Cristo”, exibido em um canal de televisão, fere a Constituição Brasileira que aponta para o Estado Laico. “Medidas necessárias [devem ser tomadas] quanto a emissora que veiculou as incitações do pastor Silas Malafaia e se for necessário retirar o programa do ar com base no artigo 19 da Constituição Federal e também à aplicação de eventuais punições ao pastor Malafaia pela promoção ativa da discriminação e da violência contra determinados setores da sociedade”, diz a ação enviado ao MPF.

Para entender o caso, clique aqui.

(Portal A Capa)