Bancários do BNB (Banco do Nordeste) e do Banco da Amazônia continuam de braços cruzados, diferentemente dos colegas de outras instituições, cuja maior parte voltou ao trabalho no último dia 18, após aceitar a proposta dos patrões.

As agências paradas abrangem 18 Estados do país. Parte delas na Amazônia Legal, na região Norte, outras na região Nordeste e, ainda, na região Sudeste – veja relação dos Estados com agências bancárias paralisadas logo abaixo.

A categoria busca avançar os benefícios, segundo o secretário geral do Feeb (Federação dos Bancários dos Estados da Bahia e Sergipe), Hermelino Souza Meira Neto.

– Existem questões específicas como a busca pela isonomia entre empregados novos e antigos e do Banco do Brasil, o abono das faltas durante a greve, além da revisão dos planos de saúde e de previdência.

Acontece nesta quinta-feira (20), às 19h (horário de Brasília) uma assembleia entre os grevistas do Banco da Amazônia para votar o fim da greve.

Houve encontro entre grevistas e o Banco do Nordeste na quarta-feira (19), mas segundo Meira Neto não houve avanços.
Reivindicações

Uma das questões que mais contribuíram para a continuidade da greve foi a redução da PLR (Programa de Participação nos Lucros e Resultados) social e do impasse quanto ao PCS (Novo Plano de Cargos e Salários).

Segundo a AFBNB (Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil) a adesão é grande em todos os Estados. Em Alagoas, Bahia, Espírito Santo e Paraíba têm todas as agências fechadas.

Estados parados

No restante das localidades a proporção é grande também: Ceará (85%), Sergipe (86,6%), Rio Grande do Norte (85,7 %), Piauí (94%) e Minas Gerais (93%). O Estado com menor adesão é o Maranhão com 75%.

Já o Banco da Amazônia tem 97% das agências paradas, em grande parte da amazônia legal e Brasília. O Pará tem o maior número de cidades afetadas. 

No total são 34 municípios em que há agências fechadas. São sete no Amazonas, Acre e Rondônia, duas no Amapá, 13 no Maranhão, 14 no Tocantins e oito no Mato Grosso. Somente Boa Vista tem agência fechada em Roraima e Brasília no Distrito Federal.

Banrisul

No Rio Grande do Sul as cidades do interior na qual os bancários mantinham a greve voltaram ao trabalho na quarta-feira (19) após assembleias com os trabalhadores durante a manhã.

*colaborou Marina Ribeiro, estagiária do R7

(R7

Anúncios