O médico Paulo Jennings, 56 anos, está desaparecido desde às 15h deste sábado (8), quando mergulhou no Rio Amazonas, perto da cidade de Óbidos (PA), durante um passeio de barco com amigos e empresários de São Paulo. O Corpo de Bombeiros e a Capitania dos Portos do Pará fazem buscas na região do acidente, mas a forte correnteza e a água escura do rio prejudicam o trabalho. A operação foi encerrada nesta segunda-feira (10) e deve recomeçar na manhã desta terça-feira (11).

Jennings nasceu em Santarém (PA) e, segundo a família, conhecia bem a região, pois fazia o passeio com os amigos todos os anos. “Ele era caboclo e conhecia bem as águas dos rios daqui. Ele sempre fretava um barco para fazer esse passeio com os amigos e empresários de São Paulo, onde ele tem consultório”, disse a sobrinha Analice Jennings, 29 anos.

Uma das filhas do médico, que mora na Alemanha, veio ao Brasil para acompanhar as buscas. Outra filha, que mora nos Estados Unidos, também viajou ao Pará para monitorar a operação. “A mulher e mais uma filha, que moram em São Paulo, também foram para lá [Santarém]. Estamos rezando para que consigam boas notícias”, disse Izabel Jennings, prima de Paulo, que mora em São Paulo.

Analice informou que o grupo que estava na embarcação com o médico permanece na região. “A lua está ajudando a navegação durante a noite. Eles estão em vários barcos e lanchas no Rio Amazonas para  tentar encontrar meu primo. Eles ficam o máximo de tempo possível na água para tentar encontrá-lo. O problema é que a região tem correnteza muito forte e é praticamente impossível ver alguma coisa porque a água é barrenta.”

Ainda segundo Analice, Paulo gostava de nadar no Rio Amazonas. “Ele estava feliz, pretendia se mudar para Santarém em pouco tempo. Antes de mergulhar, ele disse aos amigos que estavam no barco que estava muito contente. Desta vez, a mulher dele não quis vir junto e ficou em São Paulo”.

(G1)

Anúncios