A mobilização dos bancários avança no quarto dia de greve e já contabiliza 306 agências paradas de um total de 447 no Ceará. Além disso, são 6.200 profissionais envolvidos dentre entre os 9.081 do Estado, segundo balanço divulgado pelo Sindicato dos Bancários do Ceará (Seeb-CE). Nacionalmente, o movimento abrange 7.865 agências e centros administrativos. Os dados nacionais são Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

Os números já se aproximam dos contabilizados na greve do ano passado, considerada a maior dos últimos 20 anos, como destacou o presidente do Seeb-CE, Carlos Eduardo Bezerra. “A velocidade com que chegamos a esses números é maior que a do ano passado”, disse. Em 2010, foram 8.248 agências paralisadas no Brasil e 322 no Ceará em um movimento que durou 15 dias.

“O sindicato está ampliando a mobilização”, destacou Carlos Eduardo Bezerra. Ele explicou que os bancários estão insatisfeitos com a precarização do sistema financeiro e com a ausência de novas propostas da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

Apesar da paralisação, casos especiais e prioridades poderão ser atendidas pelas agências, segundo Bezerra. Os demais serviços deverão ser realizados nos caixas eletrônicos, pela Internet ou em estabelecimentos comerciais conveniados, como casas lotéricas.

O POVO tentou contato com representantes da Associação de Bancos do Estado do Ceará (Abance) pela manhã e no final da tarde de ontem, mas em nenhum dos dois momentos os participantes da instituição atenderam e nem retornaram as ligações feitas pela reportagem.

Manifestação

O movimento bancário do Ceará realizou ontem a manifestação “Cachorrada dos Banqueiros” pela cidade de Fortaleza. Foram distribuídos mil cachorros-quentes por agência na Caixa da Parangaba, Itaú da Gomes de Matos e Bradesco da Bezerra de Menezes.

Em São Paulo, os bancários e os funcionários de Correios se uniram e fizeram à tarde uma passeata. Segundo informações da Polícia Militar, havia cerca de 200 funcionários dos Correios em frente à Agência Central dos Correios, no Anhangabaú, além de outros 200 bancários concentrados na Rua Líbero Badaró.

Segundo divulgado nos sites dos sindicatos, a manifestação conta com robôs da campanha “Bancário Não é Máquina”.

ENTENDA A NOTÍCIA

O quarto dia do movimento de paralisação dos bancários teve movimento normal. O autoatendimento 24 horas funcionou normalmente. Os maiores prejudicados são os clientes que utilizam cheques para transações.

 SERVIÇO

 Opções de serviços bancários

Durante a greve dos bancários, os clientes devem buscar outras alternativas para realizar suas transações bancárias, evitando os caixas dos bancos.

Caixas eletrônicos/terminais de auto atendimento/Bancos 24 horas: Funcionam normalmente para saques, depósitos e transferências.

Atendimento preferencial: Casos de emergência poderão ser atendidos no horário comercial em algumas agências. O ideal é consultar seu banco para saber os casos preferenciais.

SAC dos bancos: Números de discagem inscritos no verso dos cartões de débito e crédito, em geral gratuitos (0800), que informam providências e agência ou posto bancário ativo.

Débitos automáticos: Os débitos em conta corrente (débitos automáticos) são de responsabilidade exclusiva dos bancos, devendo ser efetuados regularmente, desde que haja saldo na conta. Cobranças pré-agendadas e não efetuadas são passíveis de punição.

(O Povo Online)

Anúncios