O ex-deputado federal Ciro Gomes (PSB) e o ex-governador do Ceará Lúcio Alcântara (PR) não chegaram a acordo na audiência de conciliação realizada nesta segunda-feira (27), no Fórum de Justiça Clóvis Beviláqua, em Fortaleza.

Com a falta de acordo entre as partes, a juíza Sandra Elisabete Jorge Landim, da 11ª vara criminal, deu um prazo de 10 dias para Lúcio apresentar sua defesa a respeito das acusações de Ciro Gomes. Após a análise da defesa, a juíza decide se dá ou não início ao processo. “Somente após ser apresentada a defesa, a decisão relativa ao recebimento da queixa será ratificada ou não”, disse a juíza.

Ciro Gomes havia apresentado queixa-crime contra Lúcio Alcântara durante as eleições de 2010. De acordo acordo com Ciro, Lúcio teria o difamado quando apresentou acusações no horário eleitoral sem provas.

O advogado de Lúcio Alcântara, Irapuã Camurça, diz que o cliente não difamou Ciro Gomes. “Lúcio levou ao conhecimento do público denúncias que já haviam sido publicadas na grande imprensa”, diz Carmuça. As denúncias a que se refere foram publicadas na revista Veja e acusa Ciro Gomes de fraudar licitações e participação em esquema de corrupção e desvio de dinheiro público

Esta foi a terceira audiência de conciliação marcada entre os dois. Nas duas anteriores Lúcio Alcântara havia faltado. De acordo com Irapuã Camurça, as faltas ocorreram porque Lúcio Alcântara viajava para o exterior e não recebeu as notificações de comparecimento.

(G1 Ceará)

Anúncios