Foto: Divulgação

Enquanto pequenas cidades do interior cearense pavimentam suas vias com asfalto, conforme avança o processo de urbanização, no município do Crato, a 520 quilômetros de Fortaleza, a prefeitura está fazendo o oposto. As três principais ruas da cidade estão mudando: o asfalto está sendo retirado e dando lugar a blocos de concretos para, segundo a prefeitura, amenizar o clima no centro.

Segundo o secretário de Infraestrutura do município, José Muniz, o concreto de cor cinza claro pode diminuir a temperatura em até 30% durante as horas mais quentes do dia.

“Um projeto paisagístico acompanha a iniciativa. Vamos plantar árvores que dão boas sombras, apropriadas para centros urbanos”, conta ele.

O Crato fica na região do Cariri, bem no sopé da Chapada do Araripe, no sul do Estado. Por estar em uma região serrana, a temperatura é amena à noite, chegando a 15° C. De dia, entretanto, prevalece o sol forte característico do Nordeste e temperaturas altas de até 35 °C.

 

Com um clima assim, caminhar pelas ruas do centro do Crato – onde está praticamente todo o comércio da cidade de dia – exige disposição e muito protetor solar. “No final da manhã e durante toda à tarde fica muito quente. O asfalto absorve o calor e provoca um efeito estufa”, explica o secretário de Infraestrutura.

 

Foto: Divulgação

Rua João Pessoa, também no centro da cidade, em 1920, com as pedras, antes do asfalto

Inicialmente, 1,5 quilômetros de extensão das ruas João Pessoa, Miguel Limaverde e Dom Quintino receberão os blocos de concreto no lugar do asfalto. Essas vias estão ganhando calçadas mais largas de quatro metros de extensão e padronizadas com ladrilhos.

Em contrapartida, as pistas com oito metros de comprimento terão apenas seis agora. “A intenção é tornar o centro um shopping a céu aberto, tirando também a poluição visual e o comércio desordenado”, diz o secretário.

O novo calçamento deixará as três ruas mais parecidas com as vias no início do século passado. A rua João Pessoa, por exemplo, tinha calçadas largas e era toda pavimentada por calçamento na década de 20.

As obras começaram na segunda quinzena de julho deste ano. A previsão de entrega é para o final de janeiro de 2012. O valor total é de R$ 5 milhões.

(Ultimo Segundo)