O Campinense se diz indignado com a rodada de ontem da Série C do Campeonato Brasileiro de Futebol. E promete levar o caso para o Superior Tribunal de Justiça Desportiva com o objetivo de punir o Fortaleza, que ontem goleou o CRB e com o resultado se livrou do rebaixamento, empurrando o time paraibano para a degola.

Segundo os dirigentes da Raposa, ficou clara a má-fé do time cearense durante a partida contra o CRB de Alagoas. Primeiro, ao atrasar propositalmente o início do segundo tempo, quando o Fortaleza retornou a campo com um novo padrão de jogo, parecido com o que já vinha sendo usado pelo time adversário no primeiro tempo. Em outro momento, logo após o terceiro gol dos cearenses, quando jogadores do Fortaleza pressionaram os alagoanos atrás de mais um gol.

– Estamos indignados com tudo o que aconteceu. E não somos nós quem estamos simplesmente reclamando. Os fatos são flagrantes e mostram que o que acontecem ontem foi um absurdo – desabafa Tiago Melo, coordenador de comunicação do Campinense.

Segundo ele, não existem dúvidas de que o Fortaleza estava mal intencionado quando voltou com novo padrão para o campo. Para Tiago, o Leão tinha o objetivo premeditado de atrasar o reinício do jogo, para que o confronto em Fortaleza não acontecesse de forma simultânea com a partida realizada em Campina Grande, entre Campinense e Guarany de Sobral.

– Todos aqueles que acompanham futebol, principalmente o nordestino, viu o absurdo de ontem na Série C. Vamos atrás da justiça, porque não seremos omissos nunca – revela Tiago.

Outra acusação do dirigente raposeiro pesa contra o atacante Carlinhos Bala. Com a vitória do Campinense para o Guarany de Sobral, o CRB já estava classificado para a segunda fase. O Fortaleza, contudo, precisava de saldo para evitar o rebaixamento.

Após o terceiro gol do Fortaleza e a poucos minutos do fim de jogo, Carlinhos Bala corre para jogadores do CRB e levanta o dedo indicador. Para Tiago Melo, a mensagem foi clara.

– Carlinhos Bala corre para os adversários e avisa que o Fortaleza precisa de mais um gol para permanecer na Série C. Com a vitória do Campinense, o CRB não corria mais riscos de ficar de fora da segunda fase e o Fortaleza pediu claramente aos adversários mais um gol.

Tiago Melo diz ainda que sabe das dificuldades que é reverter a situação no STJD, mas que ainda assim vai atrás dos direitos do Campinense na justiça.

– Mesmo que a ação não garanta nada para o Campinjense, alguém tem que ser punido. Estamos a menos de três anos de uma Copa do Mundo no Brasil e é um absurdo que este tipo de situação ainda aconteça.

Guerra pelo Twitter

Em paralelo a indignação do dirigente raposeiro, a assessoria de imprensa do Campinense levou a confusão às redes sociais. Pelo microblog Twitter, o clube publicou links de vídeos que mostravam suposta pressão dos jogadores do Fortaleza para que o CRB “aceitasse” mais um gol.

O Campinense repercutiu também mensagens de vários torcedores, corroborando com a tese de que houve mesmo “roubo” e “manipulação de resultado” entre Fortaleza e CRB.

Entenda o caso

O Campinense jogava contra o Guarany de Sobral em Campina Grande, enquanto que o Fortaleza jogava contra o CRB na capital do Ceará.

O único time que poderia roubar a classificação do CRB era o Guarany, que assim teria que ganhar do Campinense e torcer por derrota dos alagoanos. O Fortaleza já vinha vencendo o CRB por 2 a 0 quando o Campinense marcou seu gol contra o Guarany.

Neste cenário, com derrota do Guarany, o CRB garantia sua classificação mesmo sendo goleado pelo Fortaleza. Este, por outro lado, precisava fazer mais dois gols para passar o Campinense no saldo de gols. E foi o que fez, nos últimos minutos da partida.

(Globo Esporte)

Anúncios