Leila Lopes acaba de receber a coroa de Miss Universo e já corre o risco de perdê-la. Segundo alguns veículos de imprensa angolanos, a estudante de Administração de Empresas, teria utilizado um documento falsificado por Charles Mukano, organizador do Miss Angola, que ratificaria a sua participação no concurso de beleza no seu país de origem.

Mukano teria inscrito Leila Lopes no concurso Miss Angola/Reino Unido, em que só podem participar mulheres angolanas residentes no Reino Unido, o que não seria o caso da jovem, que apesar de estudar Administração de Empresas naquele país, ainda morava em Angola antes do concurso. mas teria um documento falso em que atestava ter estudado administração de empresas na Inglaterra.

Mas, apesar das acusações, pelo menos por enquanto a coroa sendo de Leila já que a organização do Miss Universo se pronunciou confirmando a coroa da angolana:

“Nunca escutamos o nome de Charles Mukano, que é mencionado. O diretor nacional do concurso na Angola é Renato Guttler”, informou o departamento oficial de imprensa de Donald Trump, que promove o concurso mundial.

(Portal Vírgula)