Ao menos 18 pessoas morreram nesta sexta-feira em um atentado contra a sede da ONU em Abuja, capital da Nigéria, de acordo com um porta-voz policial que participa das operações no local.

O ataque aconteceu por volta das 11h (horário local), na zona diplomática do centro da cidade, nas proximidades com a Embaixada dos Estados Unidos. Houve uma forte explosão, que deixou o prédio em chamas.

Testemunhas disseram ter visto vários corpos sendo removidos do prédio.

“Nós vimos a explosão vinda do prédio. Todas as pessoas que estavam no subsolo foram mortas. Seus corpos estão literalmente por toda a parte. Vi cinco corpos”, afirmou Ocilaje Michael, um dos funcionários da ONU.

Segundo a BBC, o chão do prédio da sede foi fortemente danificado e a equipe de emergência está removendo corpos dos destroços, enquanto os feridos são encaminhados a hospitais. A emissora de TV CNN afirmou que um jornalista que estava no local contou ao menos sete pessoas mortas.

“Vi corpos espalhados”, disse Michael Ofilaje à BBC, funcionário do Unices (Fundo das Nações Unidas para a Infância). “Muitas pessoas morreram”. Segundo ele, a explosão “ocorreu no porão e sacudiu o prédio”.

Cerca de 50 pessoas foram levadas ao National Hospital da capital, confirmaram fontes do centro hospitalar à agência Efe.

A Nigéria tem sido alvo de uma onda de atentados por parte da seita radical islâmica Boko Haram, cujo nome significa “A educação ocidental é pecaminosa”, no idioma hausa, falada no norte do país. Quase diariamente o grupo está por trás de atentados e tiroteios, na maioria tendo como alvo a polícia na região norte do país.

Nesta quinta-feira, um atentado do Boko Haram contra uma delegacia de polícia e ataques a bancos em uma cidade no nordeste do país deixaram 12 mortos, incluindo um policial e um soldado.

Em junho, um carro-bomba explodiu em uma unidade policial, cuja culpa foi colocada no mesmo grupo, que defende a implementação da lei islâmica, a sharia, na Nigéria.

Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque. De acordo com uma fonte da segurança em Abuja, citada pela agência Reuters, é “provável” que o atentado seja obra do Boko Haram ou do, AQIM (Al Qaeda no Maghreb Islâmico) e é uma “séria escalada” na situação na Nigéria”.

(Folha Online)