REDE BRASIL ATUAL

São Paulo – O calendário de negociações da campanha salarial dos bancários foi definido nesta segunda-feira (22). A primeira mesa ocorre na próxima semana, nos dias 30 e 31 de agosto, na capital paulista. Na pauta do primeiro encontro estão questões relacionadas a emprego e reivindicações sociais. A data-base da categoria é 1º de setembro.

Calendário de negociações:

1ª rodada: 30 e 31 de agosto – emprego e reivindicações sociais
2ª rodada: 5 e 6 de setembro – saúde e condições de trabalho
3ª rodada: 13 de setembro – remuneração

Os trabalhadores são representados pelo Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) junto dos sindicatos de bancários de todo o país. Os bancos reúnem-se na Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). A pauta, definida na 13ª Conferência Nacional dos Bancários, foi entregue há dez dias.

O reajuste salarial reivindicado de 12,8% (aumento real de 5% mais reposição da inflação projetada em 7,5%), participação nos lucros ou resultados de três salários mais R$ 4.500, entre outras questões. Questões como condições de trabalho decente, fim das demissões imotivadas, das metas abusivas e do assédio moral, segurança contra assaltos, igualdade de oportunidades e aposentadoria digna estão entre os itens da pauta.

Segundo os sindicatos de bancários, os lucros do sistema financeiro no primeiro semestre do ano alcançou R$ 23 bilhões.

Reivindicações dos bancários:

Reajuste Salarial

12,8% (5% de aumento real mais a inflação projetada de 7,5%)
PLR – Três salários mais R$ 4.500
Pisos
Portaria – R$ 1.608,26
Escritório – R$ 2.297,51
Caixa – R$ 3.101,64
1º Comissionado – R$ 3.905,77
1º Gerente – R$ 5.169,40
Vales Alimentação e Refeição e auxílio-creche/babá – R$ 545 cada
PCCS – Plano de Cargos, Carreiras e Salários
Auxílio-educação – pagamento para graduação e pós

Emprego

Ampliação das contratações
Fim da rotatividade
Combate às terceirizações
Garantia contra dispensas imotivadas (Convenção 158 da OIT)
Banco para todos, sem precarização

Outras prioridades

Cumprimento da jornada de 6 horas
Fim das metas abusivas
Combate ao assédio moral e à violência organizacional
Segurança contra assaltos e adicional de 30% de risco de morte
Previdência complementar para todos os trabalhadores
Contratação da remuneração total
Igualdade de oportunidades

Anúncios