A população carcerária do Ceará é maior que a soma dos municípios de Guaramiranga, Granjeiro e General Sampaio. Segundo o relatório do efetivo de presos nas unidades penais do Estado divulgado pela Secretaria de Segurança e Cidadania do Ceará (Sejus) nesta quinta-feira (28), o Ceará conta com um total de 16.048 presos.

Estes 16.048 presos estão divididos entre os regimes provisórios, condenados, semi-abertos e abertos. Constituindo assim uma soma maior que a população de Guaramiranga (4.165), Granjeiro (4.626) e General Sampaio (6.216), todos estes, cidades do Interior do Ceará.

Nas cadeias públicas do Ceará estão alocados cerca de 5.800 presos, divididos entre 5.668 homens e 146 mulheres. Já as unidades policiais (delegacias) contam com 246 presos. Os presídios e penitenciárias do Estado contam com a maior população carcerária, isto é, cerca de 9.800 detentos.

Excedentes

Instituto Presídio Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II) e as unidades da Casa de Privação Provisória da Liberdade (CPPL) contam com o maior contingente de presidiários entre as unidades que a Sejus é responsável. São ao todo 5 mil. Sendo que a capacidade das unidades da CPPL e do IPPOO II é apenas de 4.196 presos.

A situação nas cadeias públicas do Ceará é bem pior. Com uma população carcerária de 5.814 pessoas, há um excedente de 2.723 presos, pois a capacidade é de 3.091. Até mesmo os complexos hospitalares da Secretaria de Segurança estão contam com um número de presos além do limite.  São quase 30 pessoas a mais.

Nova penitenciária

Até o final de agosto,  a Sejus prometeu inaugurar a nova penitenciária do Ceará, localizada em Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza. A instituição contará com tecnologia semelhante a de aeroportos e terá capacidade total para até 500 presos.

(Diário do Nordeste)

Anúncios