Na segunda reportagem da série sobre as obras e projetos nas sedes da Copa de 2014, Brasília, Salvador e Fortaleza estão em evidência. As três aparecem em estágio até avançado em comparação à logística de outras cidades. Os representantes garantem que conseguirão entregar os estádios até dezembro de 2012, prazo atual.

Confira abaixo um resumo do que tem acontecido em cada um desses locais nos últimos meses e veja o vídeo do “SporTV News”.

Brasília

Na capital brasileira, o antigo Mané Garrincha vai se transformando no Estádio Nacional de Brasília, de 71 mil lugares. As etapas de terraplenagem e fundações já foram.

– Vamos para a parte da arquibancada, e a estiagem em Brasília, nesse longo período, não vai atrapalhar, vai acelerar. Quando voltar a chover, estaremos em outro estágio. E vamos entregar no período adequado – garante o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz.

O político também aposta no legado deixado à cidade.

– Terá a parte do futebol, mas também a cultural e a comercial. Terá todos os equipamentos de salas, teatros, convenções. Não será somente uma arena esportiva.

Na parte de infraestrutura, o investimento no VLT (veículo leve sobre trilhos) está em fase final de aprovação. Este transporte ligará o aeroporto à Asa Sul.

Presidente do Confea (Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia), Marco Túlio de Melo não quer temer a pressão por resultados em cima da hora.

– Esperamos avançar no planejamento para evitar que haja conclusões em cima da hora. Que um dos legados seja a melhoria da cidade em diversos níveis.

Com orçamento de altos R$ 700 milhões, o Nacional de Brasília já avançou cerca de 35%.

Visão das obras do Estádio Castelão de mirante instalado no local (Foto: Diego Morais/Globoesporte.com)Visão do Castelão do lado de fora: sem destruição
(Foto: Diego Morais/Globoesporte.com)

Fortaleza

Candidato à Copa das Confederações, o Castelão está em processo de reforma desde o início do ano e corre contra o tempo para se garantir no evento-teste. Mas as autoridades apontam que não haverá demora. De fato, aproximadamente 23% já foi construído de um total de gastos que deve chegar R$ 518 milhões.

– A obra está num ritmo super acelerado e continuará assim para que possamos cumprir todos os prazos estabelecidos pela Fifa – afirmou Ferrúcio Feitosa, secretário de esportes do Ceará, em referência ao estágio avançado na área externa e às demolições internas.

Pela cidade, o principal obstáculo é a reestruturação do aeroporto e a melhoria do transporte.

Salvador

Na cidade baiana, o projeto da nova Arena da Fonte Nova anda de vento em popa. Demolido no fim do ano passado, o estádio, viabilizado por meio de uma parceria público-privada, já concluiu as fases de fundações e terra-plenagem e, agora, segue na montagem dos pilares.

Maquete Arena Fonte Nova (Foto: Raphael Carneiro/Globoesporte.com)Maquete da Arena Fonte Nova, prevista para dezembro de 2012 (Foto: Raphael Carneiro/Globoesporte.com)

 

 

 

– Em dezembro, o estádio começa a tomar forma e quem estiver no dique do tororó (um dos principais cartões-postais locais) poderá ver, como antes – confirmou Ney Campello, secretário da Copa em Salvador, sobre a manutenção da vista.

Já foram 20% de evolução em um projeto de R$ 591 milhões. Serão cerca de 50 mil lugares.

Na edição de terça-feira do “SporTV News”, o primeiro episódio do especial indicou a evolução de Porto Alegre, Curitiba e Cuiabá.

(PortalG1)

Anúncios