Sean Hoares, ex-repórter do "News of the World", que foi encontrado morto hoje em sua casa

O primeiro repórter do tabloide “News of the World” a denunciar que o então editor Andy Coulson sabia das escutas ilegais realizadas por sua equipe foi encontrado morto, disse o jornal britânico “Guardian”.

Sean Hoare trabalhou para o “The Sun” e para o “News of the World” sob a chefia de Coulson, que, mais tarde, foi escolhido como diretor de comunicação do premiê britânico, David Cameron.

Hoare foi demitido dos jornais do grupo por problemas de drogas e alcoolismo. Ele foi encontrado morto em sua casa em Watford.

A polícia de Hertfordshire não confirmou a identidade de Hoare, afirmando apenas que foi chamada às 10h40 desta segunda-feira para ajudar ao morador de uma casa na rua Langley, em Watford.

“O homem foi pronunciado morto na cena pouco depois”, disse a polícia, em comunicado, acrescentando que a morte está sendo tratada como “sem explicação”. A polícia ressaltou, contudo, que não há nada suspeito na cena.

Hoare fez suas primeiras denúncias sobre o comportamento antiético do tabloide britânico em reportagem investigativa do jornal americano “New York Times”.

Ele disse ao jornal que Coulson sabia do esquema das escutas ilegais de telefones de políticos, celebridades e até funcionários da família real e ainda encorajava sua equipe a usar a prática para conseguir histórias exclusivas.

Em uma entrevista posterior para a rede britânica BBC, ele disse que recebeu um pedido direto de Coulson, então seu editor, para grampear telefones.

Quando trabalhou no “The Sun”, Hoare afirma ter tocado fitas com as gravações para Coulson, então seu editor e amigo pessoal. Quando mudou para o agora extinto “News of the World”, Hoare continuou grampeando telefones e informando Coulson de suas ações.

Hoare chegou a ser questionado pela polícia em setembro passado, sob suspeita de que Coulson teria pedido a ele para fazer as escutas ilegais. Na época, ele se recusou a comentar o caso.

Na semana passada, ele voltou ao centro do escândalo ao dizer ao “NYT” que os repórteres do “News of the World” usavam tecnologia da polícia para localizar as pessoas através do sinal do celular, em troca de suborno aos oficiais.

Ele afirmou ainda que o procedimento era extremamente comum, os repórteres apenas pediam a localização de quem quisessem para o setor responsável, sem precisar dar explicações.

Em entrevista ao “Guardian”, ele admitiu problema com drogas e bebidas, mas disse que estava na reabilitação. Hoare enfatizou ainda que não lucrou ao contar sua história.

Coulson foi detido em 8 de julho para prestar esclarecimentos sobre seu envolvimento nas escutas ilegais e no pagamento de propina aos policiais. Ele se demitiu do cargo de porta-voz de Cameron no começo do ano, antes do escândalo ganhar novo tamanho, mas sua ligação com o premiê é alvo de duras críticas.

(Folha Online)

Anúncios