O atual prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri, obteve 47,8% dos votos nas eleições municipais realizadas na capital, enquanto o candidato governista Daniel Filmus alcançou 27,7%, resultado que leva ambos ao segundo turno, como aconteceu no último pleito, em 2007.

Macri, representante do partido conservador Proposta Republicana (Pro), disse estar feliz pela população portenha “voltar a confiar nele” para um novo mandato.

– Queremos continuar trabalhando juntos, (fazendo) algo novo todos os dias, para que sejamos todos felizes nesta cidade – acrescentou.

Filmus, do Partido Justicialista (PJ), também conhecido como Peronista, pediu o apoio dos habitantes de Buenos Aires para que a “cidade mais rica (do país), seja também a cidade mais justa”. Segundo ele, “é possível construir uma nova maioria” até a próxima etapa das eleições.

O resultado apresentado após a apuração de cerca de 95% das urnas não foi surpreendente, já que pesquisas recentes apontavam que haveria um segundo turno entre Macri e Filmus. Nenhuma sondagem, no entanto, apontava uma vantagem tão grande para o candidato conservador.

O pleito teve sua data adiantada pelo atual prefeito para evitar que Cristina Kirchner “puxasse” votos. Segundo a tradição política argentina, muitos eleitores votam em um candidato a presidente e, a partir de sua legenda, escolhem os demais cargos políticos.

As eleições nacionais estão agendadas para outubro, quando serão eleitos presidente e parlamentares, e é comum que em algumas províncias as autoridades adiantem o processo eleitoral dos governantes.

Macri é conhecido por sua gestão conservadora. Ele já fez declarações vinculando os imigrantes à criminalidade e ao narcotráfico e foi criticado pelo ministro do Trabalho e candidato a vice-prefeito pelo PJ, Carlos Tomada, por deixar Buenos Aires “sem saúde, sem habitações e sem educação”.

(Ansa)