Nas técnicas orientais de massagem, os profissionais e adeptos acreditam que quando determinados pontos de energia do corpo humano são manipulados, é possível promover a melhoria ou a cura de problemas na saúde. Esses pontos formam meridianos de energia, que se interligam com outras partes do corpo.

Essa é uma teoria desenvolvida pela medicina tradicional chinesa. Por exemplo, um ponto de energia existente no pé, quando massageado e pressionado, poderia promover o melhor funcionamento do estômago. A base dessas técnicas está na acupressão, que trabalha os mesmos pontos da acupuntura. Só que não utiliza agulhas. Apenas é feita a massagem ou a pressão desses pontos de energia com os dedos.

A massagem ayurvédica é feita em uma sala com luz baixa, música de fundo suave, decoração oriental e temperatura em torno de 27ºC. Tudo para proporcionar ao corpo um ambiente relaxante. A massagem é feita com óleo morno, através de movimentos de pressão e circulares. O cheiro de óleo, que pode ser de coco, gergelim ou girassol, é sentido em todo o ambiente. Além deles, são utilizados óleos medicados vindos da Índia.

Mas o ayurveda não se restringe só a massagem. “Ele é um sistema milenar de cura e busca a melhoria da qualidade de vida. E tem várias ferramentas para te trazer o bem-estar, como os óleos terapêuticos, dieta, rotina, meditação e ioga”, explica a massoterapeuta Cacilda Patrício, professora de ioga e especialista em ayurveda.

A massagem começa com a pessoa sentada, levando óleo na cabeça, na palma das mãos e no umbigo. Depois, ela deita na maca e a massagem começa pelos pés e vai subindo, até chegar a cabeça. Todo o corpo recebe o óleo. São realizados movimentos grandes e pequenos e, também, é realizada a acupressão para liberar toxinas e a energia estagnada.

Circulação

Na massagem ayurvédica, é trabalhada a circulação linfática, sanguínea e energética. “Ayur significa vida. Veda, conhecimento. Os vedas são os grandes textos indianos que retratam o conhecimento. Essa busca do homem de se entender e procurar na natureza os elementos que trazem bem-estar é o ayurveda”, afirma Cacilda.

Segundo a crença, tudo o que existe no universo é formado por ar, espaço (éter), fogo, água e terra. E a constituição dos organismos seria formado por combinações de dois a dois desses elementos. Dependendo da proporção de cada um, haverá diferentes doshas. Por isso, o tratamento é individualizado.

A artesã e recepcionista Simone Vasconcelos conta que não há palavras para descrever a sensação que sente após a massagem ayurvédica. “É maravilhoso. Não dá vontade nem de levantar. Saio levitando. Não tem nem como se estressar após uma massagem dessa”, diz.

A fisioterapeuta e professora da Faculdade Integrada do Ceará (FIC), Anna Christina Henriques, afirma que nós, seres vivos, somos energia e isso já é comprovado cientificamente. “Existe esse campo energético no ser e, por isso, trabalhamos com estimulação elétrica e eletromagnética. Os tratamentos mais modernos estão evoluindo para isso”, informa. A fisioterapeuta afirma que a medicina tradicional chinesa já possui reconhecimento científico. (Geimison Maia, especial para O POVO)

SERVIÇO

Clínica do corpo
Massagem estética (redutora) – R$ 480

(10 sessões) Drenagem linfática – R$ 520 (10 sessões)

Massagem vibratória – R$ 380 (10 sessões)

Massagem turbinada: R$ 520 (10 sessões)

Massagem com bambu: R$ 520 (10 sessões)
Mais informações: (85) 3224 7043

Aldeia Zen
Drenagem linfática, shiatsu, reflexologia, pedras quentes, quick massage, massagem sueca e stretching.

Sessão de uma hora – R$ 60
Pacote de cinco horas – R$ 240.
Pacote de 10 sessões – R$ 400
Mais informações: (85) 3242 6334

Clínica Flor de Lótus
Massagem ayurvédica – R$ 80 (1 hora)
1h30min – R$ 120
Mais informações: (85) 3268 1031

Naldo Aires

(massagem em domícilio) Sessão de 1 hora – de R$ 40 a R$ 60 , dependendo da técnica e da localização da residência. Mais informações: (85) 8754 4730 e 9645 4643.

BENEFÍCIOS COMPROVADOS

Mas os benefícios da massagem ainda não têm consenso científico, segundo o professor do curso de Fisioterapia da Unifor, Alessandro Façanha. “As grandes hipóteses é de que a massagem aumenta a vascularização, diminui a resposta de dor pós-exercício, sensibiliza o sistema imunológico e dá maior flexibilidade muscular… Agora isso é consenso? Não. Existem estudos vinculados a revistas importantes, que não mostram diferenças entre grupos que fizeram e os que não fizeram a massagem”, afirma.

Alessandro também lembra que a massagem pode provocar um efeito sistêmico no organismo, como mudanças na frequência cardíaca e na pressão arterial. “Se você vai fazer uma massagem com um leigo, ele pode ativar sem querer esse controle e acabar descompensando o paciente”. Ele também lembrar que é importante verificar como é a formação de profissionais massoterapeutas em cursos técnicos. “Não se trata de aterrorizar as pessoas contra a massagem. Mas acho que a gente precisa ter critérios”, enfatiza.

(O Povo Online)

Anúncios