Folha Online

A Justiça do Rio de Janeiro estabeleceu que deve ser feita uma busca na casa do técnico do Flamengo, Vanderlei Luxemburgo, para penhorar objetos para pagar dívida com o ex-jogador Edmundo. A decisão judicial tem como objetivo de pagar dívida de R$ 1,9 milhão do treinador com o ex-atleta.

O processo se iniciou em 2006 pelo atualmente comentarista da Band, que cobra dois cheques não quitados pagos pelo técnico rubro-negro. O ex-jogador já ganhou os direitos de receber, mas não foram encontrados bens no nome de Luxemburgo suficientes para pagar o débito –alguns deles estavam já penhorados.

Vanderlei Almeida – 2.jun.00/France Presse
Luxemburgo conversa com Edmundo em treino da seleção brasileira, em junho de 2000
Luxemburgo conversa com Edmundo em treino da seleção brasileira, em junho de 2000

Por isso, a Justiça agora determinou que podem ser procurados bens em sua cobertura no condomínio Barramares, na Barra da Tijuca. Não podem ser retiradas geladeiras ou uma televisão se for única. Mas a decisão diz que podem ser penhorados “veículos de transporte, objetos de artes ou adornos suntuosos”.

A Justiça baseia-se no artigo 659 do Código de Processo Civil, que prevê buscas em casas quando não for encontrado outra forma de quitar um débito. Um oficial de Justiça deve executar a ordem judicial e pode usar policiais militares e até arrombar a casa se o dono desta não estiver disponível.

O assessor de imprensa do treinador, Luís Lombardi, disse que não conhecia o advogado que tratava deste caso para Luxemburgo, nem detalhes do processo. A Folha tentou contatar o advogado José Costa, que defende o técnico, sem sucesso. Ele pode agravar a decisão e tentar impedir a busca e apreensão.

Eduardo Knapp – 5.set.94/Folhapress
Vanderlei Luxemburgo conversa com Edmundo em treino do Palmeiras, em 1994
Vanderlei Luxemburgo conversa com Edmundo em treino do Palmeiras, em 1994