A lei que instituiu o Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU garante isenção de pagamento do imposto aos templos religiosos. O problema é que estão sendo construídas junto aos templos casas e apartamentos suntuosos onde moram padres, pastores e outros membros das igrejas.

Os ficais da prefeitura já detectaram dezenas de casos, mas a Secretaria de Finanças ainda não tem uma posição definida. As questões religiosas criam embaraço para o governo municipal. Por isso, a decisão de cobrar ou não o IPTU dos imóveis erguidos ao lado ou sobre os templos está sendo empurrada com a barriga.

Para cobrar o imposto é necessário que seja feito o cadastro do imóvel, a medição da área, determinada a numeração e estabelecido o valor venal, fator determinante no cálculo do IPTU.

(Diário do Nordeste)

Anúncios