A comida além do arroz com feijão. Os suplementos alimentares vêm ganhando cada vez mais espaço na dieta dos brasileiros. Os motivos são os mais variados: ganho na massa muscular, retardo na fadiga, tratamento de doenças, melhora na performance durante os treinos e por aí vai. Derivados da proteína do leite e da clara do ovo, produtos como o Whey Protein e a Albumina, respectivamente, são suplementos protéicos, enquanto a MaltoDextrina, por exemplo, complementa na ingestão de carboidratos. Além disso, podem repor vitaminas, gordura e minerais.

Diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBME), Jomar Souza acredita que eles podem ser bastante úteis para atletas de alta performance, embora não sejam exatamente necessários para corredores amadores que tenham uma alimentação balanceada.

Alguns pontos positivos Alguns pontos negativos
Melhora no desempenho Possível causa de dopping
Pode prevenir doenças Ameaça de insuficiência renal
Ganho na massa muscular Não substitui uma refeição

– Para um profissional, pode ser importante ingerir suplementos, porque o estômago dele pode não estocar a quantidade necessária de alimento. O problema é que muitas pessoas utilizam suplementos importados e alguns deles contêm na formulação esteroide anabólico, que pode gerar danos à saúde. Se for de competidor é mais complicado, porque pode acusar dopping.

Além da esfera esportiva

Para os atletas amadores, os suplementos aceleram o ganho da massa muscular e, no caso do Bicarbonato de Sódio, podem retardar a fadiga muscular durante os treinos. A eficácia de alimentos como a Albumina e o Whey Protein, no entanto, ultrapassa a esfera esportiva. Em casos de tratamento de doenças, eles podem ser muito úteis, garante a nutricionista Cristiane Perroni.

– Suplementos podem ajudar no tratamento de osteoporose. O uso do Cálcio, por exemplo, costuma ser muito eficaz – diz a nutricionista.

– Um paciente que tem um tumor maligno, que exige um tratamento debilitante que gera náuseas e vômitos, pode fazer uso do suplemento. Desse jeito, ele vai permitir que o organismo absorva essas proteínas que não estão sendo ingeridas de modo normal. Esse método serve para doenças que impeçam a deglutição normal do alimento – acrescenta Jomar.

Suplementos alimentares podem otimizar treino de corredores (Foto: Douglas Aby Saber/FMA)

O médico da SBME, no entanto, recomenda que pessoas com comprometimento renal não façam uso de suplementos à base de proteína e, mesmo em outros casos, é importante o acompanhamento de um especialista.

– Tem exames que mostram os níveis de comprometimento renal. No caso de rins com problemas, aponta uma sobrecarga que pode evoluir para um quadro de insuficiência renal – conclui Jomar.
(PORTAL G1)