A Fifa oficializou nesta sexta-feira a exclusão de São Paulo e Natal da Copa das Confederações de 2013. Além disso, a entidade definiu que o Rio de Janeiro receberá o centro de mídia da Copa do Mundo de 2014. Com isso, a maior parte dos jornalistas e da imprensa internacional deve ficar reunida no Riocentro durante a competição.

O atraso no início das obras do estádio de São Paulo para a Copa foi fundamental para a exclusão da cidade da Copa das Confederações. Como a cidade prevê entregar o estádio só no fim de 2013, ela está automaticamente excluída do evento-teste para a Copa do Mundo, assim como Natal, que também está com o cronograma atrasado.

A exclusão já era prevista. No início do mês, a TV Globo divulgou que Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília e Salvador serão as cinco sedes da Copa das Confederações. A Fifa, no entanto, ainda não confirmou a informação. 

São Paulo também perdeu a disputa para receber o centro de mídia. “Eu posso te dizer que foi uma decisão difícil. Todos os candidatos tinham muita qualidade e mostraram comprometimento. Mas infelizmente só podemos escolher um e consideramos que o melhor era o Rio de Janeiro”, disse Jeróme Valcke, secretário-geral da Fifa.

“Esta importante vitória para a cidade é o reconhecimento de todo o trabalho que está sendo feito no Rio de Janeiro desde que o Brasil foi escolhido como sede da Copa de 2014. Não tenho dúvidas de que a nossa cidade vai acolher bem todos esses milhares de profissionais que vão transmitir ao mundo todo a melhor Copa de todos os tempos. E o Rio terá, claro, um papel de protagonista no Mundial”, disse Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, em comunicado oficial. 

A decisão da Fifa é uma das mais importantes já tomadas a respeito da Copa do Mundo de 2014. Com a concentração dos jornalistas no Rio de Janeiro, a tendência é que a capital fluminense concentre as atenções da imprensa internacional, vencendo uma guerra particular com São Paulo e Brasília, que também se candidataram ao posto. 

O Riocentro fica na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, e é um centro de exposições que pode ser moldado para receber a imprensa internacional. Em seu comunicado oficial sobre a escolha da Fifa, a Prefeitura fluminense valorizou o trabalho das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP’s) e os incentivos à construção de hoteis na briga pelo centro de mídia. 

A Fifa definiu a escolha do Rio de Janeiro na última quinta, após uma reunião com o Comitê Organizador do Mundial em Zurique, na Fifa. Em 2010, o centro de mídia recebeu 179 emissoras de TV de mais de 70 países, o que dá a medida do quanto o centro de mídia movimenta a cidade que o abriga. 

Agora, restam a Fifa ainda algumas definições importantes sobre a Copa do Mundo de 2014. Além das sedes do fechamento e da abertura do evento, ainda não confirmados oficialmente pela entidade, a Fifa tem de decidir onde realizará o seu congresso, que também interessa a várias cidades por reunir um número considerável de dirigentes.

(UOL)