Mais uma vez, foi frustrada a expectativa de conhecer o nome que presidirá o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), cuja sede é no Ceará. Políticos cearenses envolvidos na negociação esperavam para ontem o anúncio por parte da presidente Dilma (PT). A demora na escolha vem esquentando as especulações em torno de quem assumirá o cargo, considerado estratégico para o desenvolvimento da região.

Sem articulações, a bancada cearense continua à espera da decisão e esquiva-se de apontar um nome para o páreo. O governador Cid Gomes (PSB) é quem está à frente da discussão e foi quem tratou do assunto, na última semana, com o ministro da Casa Civil, Antônio Palocci. Cid sugeriu a permanência do atual presidente, Roberto Smith (PT), no cargo.

De acordo com o deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB), a bancada cearense ainda não conseguiu se articular dentro da bancada do Nordeste, presidida pelo deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE), para chegar a um consenso no tocante aos espaços dentro da estrutura organizacional do Governo Federal que cabem ao Ceará.

“O fato de o Ceará ter a sede do banco não significa que é a bancada cearense quem vai definir sozinha o nome do presidente. Os nove estados têm peso nesse processo, como ocorre também com a Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste), Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) e Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas)”, diz.

A demora, inclusive, já vem movimentando os servidores do banco, que acorrem pela solução do impasse. Na tarde de hoje, a presidente da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste (AFBNB), Rita Josina Feitosa, será recebida pelo assessor da Presidência, Osvaldo Buarin, para tratar da sucessão. “A indefinição causa ansiedade no interior e fora da instituição. Trabalhar assim é muito ruim”, afirma a presidente, que diz estranhar a demora da indicação.

Definição

Segundo informações da assessoria de imprensa do Ministério da Fazenda, a decisão está, de fato, no âmbito da Presidência. O senador Inácio Arruda (PC do B) destacou que ficou acertado que, se Dilma decidir mudar o presidente do banco, Cid Gomes será informado previamente.

O coordenador da bancada cearense, deputado federal José Arnon (PTB), foi procurado pelo O POVO, mas não estava em seu gabinete e seus celulares estavam desligados.

ENTENDA A NOTÍCIA

Por mais de 8 anos, Roberto Smith está no comando do BNB, tendo sido indicado pelo deputado José Guimarães (PT). O desejo de políticos cearenses de que Smith permaneça no cargo vem adiando a escolha de um novo nome.

NOMES COTADOS

Quatro nomes foram cotados para assumir o cargo de presidente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), desde o início do mandato da presidente Dilma. A primeira possibilidade seria a permanência do atual presidente, Roberto Smith (PT), à frente do banco. O nome dele é defendido pelo governador Cid Gomes e por boa parte da bancada cearense.

Além dele, o executivo baiano Miguel Terra, que foi superintendente do Banco do Brasil no Ceará e superintendente estadual de Varejo e Marketing do Estado de São Paulo, foi indicado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega para assumir o cargo. No entanto, Cid Gomes e o deputado José Guimarães não ficaram satisfeitos com a indicação e teriam apresentado outro nome à presidente.

O atual diretor de Gestão do BNB, José Sydrião de Alencar Júnior, que, assim como Roberto Smith também é afilhado político do deputado federal José Guimarães (PT), foi outro cotado para ser o novo presidente do banco. Dilma Rousseff, no entanto, não teria gostado da indicação.

Eduardo Oliveira Martins, atual diretor do Banco do Brasil, foi o último a surgir como nova possibilidade para o cargo.

(O Povo Online)

Anúncios