O Feirão da Casa Própria inicia hoje o segundo dia de exposições em cinco cidades do Brasil. Curitiba, Salvador, Uberlândia, Fortaleza e São Paulo terão juntas 450 mil disponíveis aos interessados.

Só ontem, em São Paulo, o evento recebeu 13 mil visitantes e registrou R$ 205 milhões em negócios fechados — entre concluídos e em andamento.

A cidade tem a maior exposição, com 195 mil unidades disponíveis. O feirão em São Paulo terá 68,6 mil imóveis com valor até R$ 170 mil e, portanto, que podem ser financiados com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

A taxa de juros é menor do que a das linhas que usam recursos da caderneta de poupança e limitada a 8,16% ao ano mais TR. Nesse caso, as famílias devem ter renda mensal familiar até R$ 4.900.

Editoria de Arte/Folhapress

O evento tem também 38,2 mil moradias que se enquadram nas regras do Minha Casa, Minha Vida, que tem o mesmo teto, mas um limite inferior para a renda mensal (R$ 4.650).

Os juros na linha com recursos do FGTS começam em 5,0% ao ano mais TR e financiam até 100% do imóvel. É possível conseguir uma redução de 0,5 ponto percentual em todas as faixas de renda, desde que o futuro mutuário tenha conta individual vinculada ao fundo há pelo menos três anos, consecutivos ou não.

Com recursos da poupança, o financiamento chega a 90% do valor do imóvel e não há limite de renda. Para moradias enquadradas dentro do SFH (Sistema Financeiro da Habitação), no qual o trabalhador pode usar o saldo da sua conta do FGTS para reduzir o financiamento e as moradias devem ser avaliadas em até R$ 500 mil, os juros vão até 10,5% ao ano mais TR (taxa pós-fixada) e 12,1% ao ano (pré-fixada).

Editoria de Arte/Folhapress

Ao contrário do que aconteceu no Salão Imobiliário de São Paulo, em setembro passado, não haverá taxa menor para negócios fechados ou encaminhados no feirão.

Segundo o superintendente regional da Caixa em São Paulo, Válter Nunes, uma avaliação dos outros concorrentes mostrou que a Caixa “está bem posicionada”, logo não haveria necessidade de oferecer juros diferenciados. As linhas da Caixa têm prazo de pagamento de até 30 anos e juros de até 13,5% ao ano mais TR.

A vantagem de um evento desse porte para quem está procurando um imóvel é reunir em um único local todos os agentes da cadeia, como construtoras, corretores, cartórios e técnicos do banco responsáveis por analisar e liberar os financiamentos.

É preciso ter cuidado, no entanto, para evitar compras por impulso, já que o pagamento do empréstimo vai comprometer a renda do mutuário por até três décadas.

“No feirão, a comparação [de preços] é mais fácil, mas é prudente visitar antes o local”, aconselha João da Rocha Lima Jr., professor titular de “real estate”, núcleo que faz parte da Poli/USP (Universidade de São Paulo).

A dica para os futuros mutuários é conferir a estrutura do imóvel e do seu entorno, o que inclui transporte, comércio local e segurança, para não se arrepender depois do negócio fechado.

Segundo Gilberto Yogui, diretor do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo), a maioria dos corretores terá condução para levar os interessados em ver a casa ou apartamento de perto.

Na avaliação de Lima Jr., os consumidores “não têm a atitude de comparar taxas de juros” entre os bancos, pois estão mais preocupados em saber se a parcela cabe no orçamento.

LOCAL DOS FEIRÕES NESTE FINAL DE SEMANA

São Paulo – Centro de Exposições Imigrantes – av. Imigrantes, km 1,5
Uberlândia – UB-Center Convention – av. João Alves de Ávila, 1.331
Curitiba – Marumbi Expo Center – av. Presidente Wenceslau Braz, 1.046, Guaíra
Fortaleza – Centro de Convenções – av. Washington Soares, 1.141- Água Fria/Ed. Queiroz
Salvador – Centro de Convenções – av. Simon Bolívar, s/n

(FOLHA ONLINE)