Manaus – A cidade de Manaus tem potencial de consumo para este ano estimado em  R$ 19,2 bilhões, ocupando o 12º lugar no ranking das 50 cidades do País com maior potencial de consumo, segundo o estudo IPC Maps divulgado, ontem, pela empresa especializada em pesquisas IPC Marketing.

Além de Manaus, a única cidade da Região Norte na lista foi Belém, capital do Estado do Pará, na 14ª posição, com R$ 16,4 bilhões em potencial de consumo para 2011.

O Amazonas ficou na posição de número 19 no ranking dos Estados, com potencial de consumo estimado em R$ 27,4 bilhões, atrás do Pará, na 11ª posição (R$ 58,8 bilhões).

Os gastos dos cidadãos do Amazonas estão polarizados em cuidados com a residência e alimentação. Os cuidados com a casa incluem despesas com aluguéis, impostos, taxas e tarifas de energia elétrica, água e gás, representando 25,8% de todos os gastos do ano. O item alimentação deve ser responsável por 20,2% das despesas, somando os alimentos adquiridos para consumo dos integrantes da família dentro e fora da residência.

O primeiro lugar no ranking das cidades ficou com São Paulo, que apresentou potencial de R$ 232,5 bilhões. São Paulo também tem o maior potencial, em nível estadual, com R$ 719,5 bilhões.

O município  de Belfort Roxo, no Estado do Rio de Janeiro, com 469,2 mil habitantes, foi o último colocado da lista das 50 cidades, com potencial de consumo para este ano avaliado em R$ 6,219 bilhões.

Além de Manaus, nenhuma outra cidade do Amazonas aparece na lista divulgada pela IPC Marketing.

Amazonas

Depois da capital, os melhores colocados no Estado, entre os 5.635 municípios do Brasil, são Itacoatiara (562ª posição) e Parintins (581ª), com potencial de consumo de R$ 550 milhões e R$ 530 milhões, respectivamente.
Em seguida estão Manacapuru (624ª), com R$ 486 milhões; Tefé (704ª), R$ 432 milhões; e Coari (848ª), com R$ 344 milhões de potencial de consumo até o final deste ano.

(D24horasam)