O diretor da CIA, Leon Panetta, afirmou que Osama Bin Laden tinha 500 euros e dois celulares presos em sua roupa quando foi morto em uma operação militar dos Estados Unidos. A afirmação foi feita durante um encontro fechado ao público realizado na última terça-feira, em Washington.

Segundo Panetta, o dinheiro e os telefones eram indícios claros que ele estaria pronto para deixar a mansão em Abbottabad, onde morava por cinco anos, justificando o porque do líder da Al Qaeda estaria desacompanhado de um forte esquema de segurança. Bin Laden acreditava que sua rede de contatos era “suficientemente forte” para que ele fosse avisado com antecedência caso um ataque estivesse a caminho, o que aparentemente aconteceu.

A explicação de Panetta é mais um capítulo da longa explicação que o governo americano vem tentando explicar ao mundo, que ainda é esperado a divulgação das fotos que comprovaria a morte do terrorista.

De acordo com as informações confirmadas pela Casa Branca, Bin Laden não estaria armado no momento da invasão, motivo pelo qual questiona-se se as tropas não deveriam tê-lo prendido e depois levá-lo para julgamento.

(SIDNEY REZENDE)