WASHINGTON – O mensageiro íntimo de Osama bin Laden, que serviu de elo para a localização do terrorista em Abbottabad, no Paquistão, chamava-se Abu Ahmad, segundo informou uma fonte diplomática à rede CNN.

Ahmad, que era um cidadão do Kuwait, acabou morrendo na operação do último domingo, que culminou também na morte do líder da Al-Qaeda.

O terrorista saudita Osama bin Laden vivia há “5 ou 6 anos” na sua mansão em Abbottabad, nas proximidades da capital Islamabad. A informação, da rede BBC, foi passada por um conselheiro para assuntos terroristas do presidente americano Barack Obama.

No final da noite de 1º de maio (madrugada do dia 2 no Brasil), o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou a morte do terrorista Osama bin Laden. “A justiça foi feita”, afirmou Obama num discurso histórico representando o ápice da chamada ‘guerra ao terror’, iniciada em 2001 pelo seu predecessor, George W. Bush .

Osama foi encontrado e morto em uma mansão na cidade paquistanesa de Abbottabad, próxima à capital Islamabad, após meses de investigação secreta dos Estados Unidos .

A morte de Bin Laden – o filho de uma milionária família que acabou por se tornar o principal ícone do terrorismo contemporâneo -, foi recebida com enorme entusiasmo nos Estados Unidos e massivamente saudada pela comunidade internacional.

Enquanto a secretária de Estado dos EUA afirmava que a batalha contra o terrorismo continua , o alerta disseminado em aeroportos horas depois da notícia simboliza a incerteza do impacto efetivo da morte de Bin Laden no presente e no futuro.

(AFP)