Os talibãs paquistaneses, aliados da Al-Qaeda, prometeram nesta segunda-feira vingar a morte de Osama Bin Laden, que morreu em uma operação americana, e prometeram atacar objetivos americanos e do governo paquistanês.

— Não podemos confirmar o martírio de Osama bin Laden, quando nossas próprias fontes confirmarem estaremos em condições de afirmar outra coisa — disse o porta-voz do Movimento dos Talibãs do Paquistão (TTP), Ehsanullah Ehsan, em uma entrevista por telefone à AFP.

— Se conheceu o martírio, vingaremos sua morte e lançaremos ataques contra os governos americano e paquistanês, assim como contra as forças de segurança, inimigos do islã — afirmou Ehsan.

O TTP prometeu lealdade à Al-Qaeda em 2007 e no mesmo ano declarou a jihad (guerra santa) no Paquistão, cujo governo foi acusado de apoiar os Estados Unidos na luta contra o terrorismo.

Entenda como ocorreu o incidente e seus desdobramentos:

O presidente americano Barack Obama anunciou, na noite de domingo (madrugada de segunda-feira, no horário de Brasília), ao vivo em cadeia nacional a morte de Osama bin Laden. O fato ocorreu após operação de forças militares americanas no Paquistão, em uma mansão da cidade de Abbottabad, ao norte de Islamabad, o maior município do país.

Em discurso oficial, Obama disse que “foi feita justiça” no ato americano, o qual era prioridade número 1 do país. Já o ex-presidente George W. Bush comemorou a “vitória” dos Estados Unidos. Após a disseminação da informação, milhares de cidadãos de Nova York e Washington foram ao Marco Zero de 11 de Setembro e à Casa Branca, respectivamente, para demonstrar apoio à medida tomada pelo governo.

O departamento de Defesa dos EUA divulgou nota alertando aos americanos que estão no exterior para o potencial aumento da violência contra o país. Já a Otan confirmou que irá continuar com a missão de paz no Afeganistão mesmo com a morte do principal líder da Al-Qaeda.

Segundo a imprensa americana, o corpo do terrorista teria sido jogado ao mar depois de rituais islâmicos. O filho de Bin Laden também acabou morto durante os ataques.

* Com informações da agência de notícias AFP