BRASÍLIA – A contratação dos trabalhadores das grandes obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) será feira a partir de agora pelo Sistema Nacional de Emprego (Sine), do Ministério do Trabalho. O “gato” que fazia até então a seleção dos operários para trabalhar nestas construções será eliminado. Esta foi uma das medidas acertadas nesta quinta-feira, na primeira reunião, no Palácio do Planalto, entre representantes das centrais sindicais, governo e sindicatos das empresas para tentar resolver os conflitos nas grandes obras. Na segunda reunião, o governo trata especificamente sobre as usinas hidrelétricas de Jirau e Santo Antonio, no rio Madeira, em Rondônia.

– Os “gatos” contratam enganando, dizendo que as pessoas vão ter altos salários – contou o vice-presidente da Força Sindical, Miguel Torres.

A situação na hidrelétrica de São Domingos, em Água Clara, Mato Grosso do Sul, é muito grave, segundo Miguel Torres, porque cinco trabalhadores sofreram maus tratos. Ele disse que os operários estão sendo ameaçados por terem denunciado o problema e vão entrar na Justiça.

– Os cinco trabalhadores foram torturados e sofreram choques elétricos – afirmou.

Torres disse que ainda que o Ministério do Trabalho não tem fiscais suficientes para acompanhar todas as obras do PAC.

(O Povo Online)

Anúncios