O repórter do jornal “O Estado de S. Paulo”,  Andrei Netto, foi libertado na tarde desta quinta-feira (10) na Líbia. Netto está, neste momento, na casa do embaixador brasileiro na Líbia, George Ney de Souza Fernandes, e passa bem. Segundo informações passadas pela mulher do jornalista, ele não foi torturado no período em que esteve preso.

“O jornalista Andrei Netto, um dos enviados especiais à Líbia, encontra-se na residência do embaixador brasileiro na Líbia, recém libertado pelas forças do governo Líbio, encontra-se bem e já se comunicou com a família”, disse o diretor de Conteúdo do Grupo Estado, que edita o jornal, Ricardo Gandour.

O diretor afirmou que Netto deverá deixar a Líbia nas próximas horas. De acordo com informações preliminares, o jornalista ficou preso por oito dias. A direção de “O Estado de S. Paulo” informou na quarta (9) que tinha perdido o contato com o repórter havia uma semana. Netto fazia a cobertura jornalística na área de Zawiya, uma das regiões onde os conflitos são mais intensos. A pedido da direção do jornal, o Ministério das Relações Exteriores e a embaixada do Brasil na Líbia passaram a ajudar na localização de Netto.

A presidenta Dilma Rousseff também pediu providências urgentes ao ministro interino das Relações Exteriores, embaixador Ruy Nogueira, para garantir a integridade física e a libertação do repórter brasileiro.

(Portal Abril)

Anúncios