Os dois dias de desfile de carnaval no sambódromo do Rio de Janeiro ficaram marcados pela atuação do cantor Roberto Carlos, aclamado pela multidão, mas também pela calorosa receção do público à escola da Portela, atingida por um incêndio em fevereiro.

Um mês depois de um incêndio ter destruído grande parte dos fatos e dos carros alegóricos da escola de samba da Portela, o desfile que esta escola apresentou no sambódromo do Rio de Janeiro, na noite de domingo, mais do que compensou as perdas, descrevem as agências internacionais,

A apresentação da Portela agarrou verdadeiramente o público quando, durante o desfile, os elementos da precursão pararam de tocar os tambores e agacharam-se, permanecendo em silêncio durante uns segundos, recordando desta forma tudo o que perderam nas chamas.

Depois dos segundos de silêncio, os elementos da escola deram um grande salto e lançaram um grito estridente, regressando ao ritmo do samba e levando milhares de pessoas a unirem-se numa grande ovação.

Aclamação semelhante teve também o cantor Roberto Carlos, aplaudido pela multidão presente no sambódromo na noite de segunda-feira, ao desfilar com a escola de samba Beija Flor, uma das favoritas ao título de vencedora do carnaval deste ano.

De acordo com a agência espanhola EFE, a escola apresentou o tema “A simplicidade de um rei”, em homenagem ao cantor que no próximo mês de abril completa 70 anos e que durante a última madrugada se apresentou no último carro alegórico, com a qual terminou a longa jornada de desfiles.

O “Rei” da canção brasileira, vestido como sempre de branco e azul, desfilou num carro com uma imagem gigante de um Cristo com os braços abertos, simbolizando as suas crenças religiosas.

A escola Beija Flor lembrou a infância do artista na sua terra natal de Cachoeiro Itapemirim, a sua estreia no mundo musical e êxitos como “Amada Amante” ou “Lady Laura”, num desfile onde também participou o seu sócio, o compositor Erasmo Carlos, e personagens do imaginário brasileiro.

A escola de samba Beija Flor foi, aliás, um dos destaques da noite de segunda-feira, à qual se juntou a escola Salgueiro e a União da Ilha.

No entanto, de acordo com informação disponível no sítio da Internet da Globo, a Salgueiro deverá ser penalizada por ter demorado a desfilar mais dez minutos do que o tempo regulamentado.

Já a União da Ilha ficou de fora e não foi avaliada pelo júri “por causa do incêndio ocorrido na Cidade do Samba”.

Esta escola foi uma das três prejudicadas por um incêndio em fevereiro, mas conseguiu recuperar alguns dos fatos em pouco mais de 20 dias de trabalho. No entanto, apesar de ter conseguido entrar no desfile, não entra na disputa pelo título.

O desfile de segunda-feira contou então com as escolas de samba da União da Ilha do Governador, da Salgueiro, da Mocidade, da Grande Rio, da Porto da Pedra e da Beija Flor.

A escola vencedora da edição de 2011 do Carnaval do Rio de Janeiro é conhecida na quarta-feira.

(Portal Ionline)

Anúncios