O governo pode dar uma solução diferente para diminuir a pressão das cidades interessadas em sediar a abertura da Copa-2014 e contemplar dois dos quatro municípios atualmente no páreo.

A ideia é discutida internamente pelo ministro do Esporte, Orlando Silva Jr. Dentro do ministério, fala-se em realizar a celebração em Salvador e fazer a partida inaugural em São Paulo.

Belo Horizonte e Brasília também são candidatas.

Essas quatro cidades lutam pela abertura do Mundial, mas todas apresentam problemas de infraestrutura.

No governo, existem argumentos contrários a cada uma das quatro opções.

Enquanto São Paulo ainda não tem uma definição sobre o estádio do Corinthians, escolhido para a Copa, os aeroportos de Salvador e de Brasília teriam dificuldades em dar conta da demanda de passageiros. Já Belo Horizonte não contaria com estrutura hoteleira adequada para acomodar tantos visitantes.

No entanto, a decisão final ainda não foi fechada com a presidente da República, Dilma Rousseff.

Integrantes do Comitê Paulista e da Secretaria Extraordinária da Bahia para a Copa-2014 veem com bons olhos a sugestão de compartilhar os eventos da abertura.

Membros da entidade de São Paulo acreditam ser possível e viável isso acontecer.
Não abrem mão, no entanto, de sediar a partida de abertura. Eles acreditam que São Paulo é a única cidade-sede capaz de receber tal evento, o mais importante do Mundial, pelo número de visitantes e pela presença maciça de autoridades.

Comparados a São Paulo, os baianos têm a consciência de que estão em desvantagem. Por isso, abrigar a festa soa como grande conquista.

Integrantes da secretaria local afirmam que a ideia de dividir com os paulistas a abertura é muito bem-vinda. Eles argumentam que já estão preparados para realizar a festa, pois recebem milhares de turistas todos os anos por causa do Carnaval.

A interlocutores o ministro diz que há um precedente parecido. Ele costuma mencionar o caso da última Copa, na África do Sul, em que a festa de abertura e o primeiro jogo do Mundial ocorreram em estádios e dias diferentes, embora na mesma cidade.

A celebração aconteceu no Orlando Stadium, em Soweto, em Johannesburgo. No dia seguinte, a partida inaugural foi no Soccer City.

Sempre que questionado sobre o assunto, Silva Jr. afirma que a Fifa se baseará em critérios técnicos na hora da escolher a sede. Porém não se pode dizer que a escala Salvador-São Paulo incomode o titular da pasta. Motivo: o ministro nasceu na Bahia, mas construiu sua carreira política em São Paulo.

//

Anúncios