A Christian Dior, marca de alta costura francesa, suspendeu nesta sexta-feira (25) seu estilista mais famoso, o britânico John Galliano, depois que ele foi preso em Paris acusado de antissemitismo e abuso em via pública. Galliano era, desde 1996, diretor de criação da marca, e já há 20 anos estava baseado na França, deonde desenvolvia as roupas para a marca.

O estilista foi preso na noite de quinta (24), aparentemente embriagado, após insultar um casal em um bar no bairro parisiense do Marais, conhecido distrito judeu da capital francesa. Policiais de Paris confirmaram, depois, com um teste de embriaguez, que ele de fato tinha bebido além da conta.

“A Dior reafirma, com a maior convicção, sua política de tolerância zero quanto a qualquer tipo de conduta antissemita ou racista. Enquanto aguardamos os resultados do inquérito, a Christian Dior suspendeu John Galliano de suas responsabilidades”, disse, em comunicado, o chefe-executivo da marca, Sidney Toledano.

Galliano foi solto na mesma noite, e aguarda em casa os resultados do inquérito.

(Época Online)

Anúncios