A população do Japão aumentou apenas 0,2% nos últimos cinco anos, índice mais baixo de crescimento demográfico desde 1920, quando as estatísticas começaram a ser aferidas, segundo o último censo japonês, divulgado nesta sexta-feira.

Em 1º de outubro de 2010, o Japão tinha 128,06 milhões de habitantes, indica a pesquisa do governo. A previsão é de que a população japonesa, em constante declive desde 2007, se reduza à metade, para cerca de 60 milhões, até 2100.

Os últimos dados do censo refletem “uma mudança drástica na estrutura social de nossa nação, uma queda de natalidade e um aumento do índice de mortalidade”, destacou um representante do ministério de Assuntos Internos e Comunicação.

Muitos jovens japoneses não têm interesse em formar uma família, já que a consideram um obstáculo à sua carreira e à manutenção de seu estilo de vida.

Um estudo realizado em 2009 mostra que 40% dos japoneses sequer cogitam ter filhos depois de se casarem.

A débil taxa de fecundidade japonesa permaneceu muito baixa em 2009, sem mudanças em relação ao ano anterior, estabilizando-se a 1,37 filhos por mulher, o que interrompe uma leve recuperação iniciada a partir do nível mais baixo da história, registrado em 2005 (1,26 filhos por mulher).

O governo de centro-esquerda que chegou ao poder em setembro de 2009 fez da luta contra o envelhecimento da população um de seus objetivos centrais.

Entre as principais medidas para cumprir esta meta estão o aumento do número de creches e uma ajuda familiar de 13.000 ienes (158 dólares) mensais por criança até o fim dos estudos.

(Agência EFE)

Anúncios