A luta de boxe em que se transformou a disputa pelo poder na cúpula da Segurança fluminense ganhou um novo round. No primeiro, o chefe de Polícia Civil, Allan Turnowski, havia sido levado às cordas, com seu ex-subchefe Operacional, Carlos Oliveira, um de seus homens de confiança, sendo preso pela Polícia Federal, na Operação Guilhotina. O secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, havia preparado o nocaute para esta segunda-feira, quando, segundo uma fonte, iria anunciar a exoneração de Allan. Mas Turnowski acertou o golpe ensaiado na noite do último domingo: depois de ter lacrado a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), que ajudou a PF na investigação que deu origem à Guilhotina, anunciou que os sigilos telefônico e bancário de todos os policiais da Draco suspeitos de procedimentos ilícitos serão quebrados.

Para atingir o secretário, Allan mirou na unidade comandada pelo delegado Cláudio Ferraz, braço-direito de Beltrame no combate às milícias e, até então, provável sucessor de Turnowski na Chefia de Polícia. Mariano, inclusive, já havia escolhido Ferraz como seu subsecretário de Contra-inteligência. Além disso, tirou a Draco da estrutura da Polícia Civil e a levou para a hierarquia da Secretaria estadual de Segurança (Seseg). Mesmo assim, o acervo cartorário da delegacia, onde foram feitas as apreensões ordenadas por Turnowski, continua “pertencendo” à Civil. A devassa na Draco identificou que policiais teriam participado de fraudes em licitações na prefeitura de Rio das Ostras, São Gonçalo e Japeri. Segundo o chefe, a devassa vai identificar se houve saques e beneficiamento econômico para arquivar as investigações. Ele garantiu que a ação não se trata de um “troco” a Ferraz.

— Não é represália. Para fazer represália seria contra a PF. Minha relação com o doutor Cláudio Ferraz era a melhor possível eu sempre estive presente nas prisões que ele fez combatendo a milícia. Quem autorizou o fechamento da delegacia foi o Beltrame. Este é o início de um grande processo de limpeza. Eu mesmo vou começar a fazer essa limpeza — argumentou Turnowski.

Para reforçar a ideia de normalidade, Allan disse que o trabalho, acompanhado pelo corregedor Gilson Emiliano, se estenderá a outras delegacias. Informou que vai ampliar a devassa à Delegacia de Defesa de Serviços Delegados (DDSD), mostrando que também pretende investigar seus “pares”. O titular da DDSD é o delegado afastado Marcus Vinícius Almeida Braga, um dos braços operacionais de Turnowski e ex-titular da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), uma das duas especializadas — a outra é a Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae) — mais atingidas pela Operação Guilhotina, da PF. A Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol) deve sair com as mãos vazias da DDSD, já que, em 15 de outubro de 2010, um incêndio destruiu parte do acervo da delegacia.

Cláudio Ferraz deixou a sede da Draco se esquivando. Ele subiu a guarda e disse desconhecer as acusações. Allan Turnowski afirma ter tomado conhecimento da denúncia, esta semana, a partir de uma carta anônima, mas elas já existiam há pelo menos um ano e faziam parte de um dossiê já oferecido à imprensa. A ação na Draco, no entanto, só foi deflagrada agora. Um direto no queixo que estava guardado para o momento certo.

— Estou aqui para tratar de outros assuntos e não tenho como analisar a situação porque não sei o que está acontecendo. Mas não deixa de ser um constrangimento. Se existe rivalidade com o chefe de Polícia, eu desconhecia — destacou Ferraz.

A Associação dos Delegados de Polícia do Rio (Adepol) pediu ao governador Sérgio Cabral a exoneração do secretário de Segurança. A entidade declarou, em nota, que o motivo é a forma “desrespeitosa” como foi tratada a Polícia Civil durante a Operação Guilhotina, na última sexta-feira. Cabral, até agora, não se pronunciou. Beltrame aguarda o soar do próximo gongo para tirar Turnowski do combate. Este, por sua vez, está perto da lona, mas cresceu e deixou Cláudio Ferraz com o “supercílio aberto” e mais distante de ocupar o seu lugar no ringue.

(Jornal Extra Online)

Anúncios