BRASÍLIA – Com o corte de R$ 50 bilhões do orçamento anunciado pelo governo federal , apenas algumas centenas dos 24.605 cargos do Executivo a serem preenchidos este ano, conforme proposta orçamentária, serão autorizados. De acordo com fontes ouvidas pelo GLOBO, somente serão aprovados gestores públicos para atender o Ministério do Planejamento e professores de escolas técnicas. E, mesmo assim, dizem as fontes, profissionais já aprovados em concurso e que aguardavam nomeação.

Na quarta-feira, após o anúncio do pacote de ajuste nos gastos do governo, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, avisou que estão suspensas todas as nomeações para o serviço público federal de aprovados em concurso. Ela informou ainda que o governo não deve permitir novos concursos públicos este ano .

Com a decisão do governo em relação aos concursos públicos, devem ser engavetados, por exemplo, pedidos encaminhados pelos Ministérios da Defesa (100 vagas); Ancine (100); Ministério do Esporte (24); Ministério da Fazenda (24); Comando da Aeronáutica (13.495); Previdência Social (1.124); Ciência e Tecnologia (83); Ministério das Relações Exteriores (1.293). Também serão abortados concursos para ANP, Ministério do Meio Ambiente e Ibama.

Ao todo, a despesa estimada com os concursos que estavam previstos era de R$ 1,233 bilhão em 2011. Considerada a proposta orçamentária para este ano, a previsão era de que seriam abertas 40.549 vagas nos órgãos públicos federais (Executivo, Legislativo e Judiciário).

(O Globo Online)

Anúncios