A osteoporose é uma doença que causa o enfraquecimento dos ossos e afeta principalmente mulheres após a menopausa. A maior consequência da enfermidade são as fraturas, mais frequentes nas vértebras da coluna, no colo do fêmur e no antebraço.

Nas mulheres acima de 50 anos, a osteoporose é responsável por mais dias em hospital do que muitas doenças, incluindo diabetes, infarto e câncer de mama.

O desafio na prática clínica é identificar e tratar a osteoporose antes que ocorra a primeira fratura. A doença é chamada de “epidemia silenciosa”, pois permanece sem sintomas por muito tempo e acaba sendo diagnosticada somente após a primeira fratura.

A Organização Mundial de Saúde, da ONU, a considera um dos maiores problemas de saúde pública do século XXI. Faça o teste de um minuto da IOF (International Osteoporosis Foundation) abaixo e saiba se você corre o risco de ter osteoporose.

RISCO DA OSTEOPOROSE

• Sua mãe ou pai teve diagnóstico de osteoporose?
• Quebrou algum osso?
• Fez tratamento com corticoides (cortisona) por mais de três meses?
• Você perdeu mais de 3 cm de altura?
• Consome álcool em excesso?
• Fuma mais de 20 cigarros por dia?
• Tem diarreia crônica?

PARA MULHERES

• A menopausa chegou antes dos 45?
• A menstruação ficou interrompida por 12 meses ou mais?

PARA HOMENS

• Já sofreu impotência sexual, perda de libido ou outros sintomas associados a baixos níveis de testosterona?

Se respondeu “sim” para uma dessas questões, não significa que tenha osteoporose, mas pode estar sob risco.

Sebastião Cezar Radominski é professor de medicina e chefe da especialidade de reumatologia da UFPR, presidente eleito da Sociedade Brasileira de Osteoporose (Sobrao) e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia.

(Época Online)

Anúncios