FORTALEZA – Os dez presos resgatados neste sábado do Instituto Presídio Professor Olavo Oliveira, em Itaitinga, no Ceará, podem ter tido a fuga facilitada. De acordo com a presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Socorro Marques, havia oito armas (calibre 38 e pistolas .40) em posse dos presos no momento da rendição dos agentes. Para ela, os presos já esperavam pelo resgate.

Entre os fugitivos estão Marcos Rogério de Morais, o Bocão, chefe do bando que assaltou a sede do Banco Central em Fortaleza, em 2005, e outros dois integrantes da quadrilha.

Na hora da ação, diz Socorro, estavam apenas seis agentes penitenciários de plantão para mais de 500 presos e dois deles foram rendidos por homens armados.

A polícia do Ceará também acredita que a fuga pode ter sido preparada com antecedência e investiga se o bando contou com ajuda interna para agir. Foi montada uma operação especial para tentar recapturar os detentos. Viaturas policiais e helicópteros estão sendo usados em bloqueios no estado.

A Secretaria de Justiça vai também investigar se houve facilitação da fuga. Imagens do circuito interno de segurança do presídio estão sendo analisadas. Policiais militares, advogados e agentes penitenciários que estavam no presídio no momento da fuga estão sendo interrogados

A FUGA

Os presos foram resgatados durante o horário de visita, no início da tarde deste sábado. Um visitante rendeu dois agentes penitenciários na portaria principal do presídio. Neste momento, homens armados chegaram em três carros, atirando nos policiais que estavam nas guaritas. Os criminosos usaram uma picape Hilux, uma L-200 e um terceiro veículo, que na fuga foi trocado por um Santana.

Dentro do presídio, os fugitivos renderam os agentes no momento do atendimento jurídico. Três vivências, cada uma delas com 20 detentos em média, haviam sido abertas, o que aumenta a suspeita de que os bandidos poderiam estar preparando a fuga com antecedência. Entretanto, a diretoria do Instituto afirma que os fugitivos pertenciam a outra vivência, a nº1.

Na fuga houve intensa troca de tiros e duas pessoas ficaram feridas: um sargento da PM e um agente penitenciário. Os bandidos usaram fuzis e pistolas .40. O sargento foi atingido de raspão no braço. O agente penitenciário levou uma coronhada na cabeça.

Segundo a polícia, o alvo principal da ação era o sequestrador Alex Sousa Ribeiro, conhecido como Alex Gardenal.

Bocão havia sido preso em agosto de 2007, em São Paulo. O assalto ao BC de Fortaleza ocorreu em agosto de 2005 e é considerado a maior ação contra bancos no Brasil. Usando um túnel, os ladrões roubaram R$ 164,7 milhões sem serem notados. Até hoje, a polícia não conseguiu recuperar a maior parte do dinheiro.

Do grupo que assaltou o Banco Central foram resgatados ainda Edésio Batista das Neves Sobrinho e Fernando Carvalho Pereira.

Os demais fugitivos são Antônio Reginaldo de Araújo, Edson Barbosa Andrade da Silva, Francisco Mauro Gean de Lima, Oziélio Chaves Vieira, Francisco das Chagas Rodrigues e Francisco Edverton Amaro Honório

(O Globo Online)