É como se morássemos num formigueiro. Ou numa uma colmeia. Um amontoado de indivíduos espremidos numa área minúscula. Em Fortaleza, sobram habitantes. Falta espaço.

Para os 315 quilômetros quadrados territoriais da cidade, são 2.447.409 moradores. Isto nos dá o posto de capital mais densa do País, com 7.769 pessoas por km². Superamos até São Paulo, com seus 11.244.369 cidadãos morando em 1.530 km². Um saldo de 7.349 para cada km².

As informações são do Censo 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O POVO fez o levantamento de todas as capitais. Regiões metropolitanas não foram contabilizadas.

Os indicadores comprovam um inchaço acelerado de Fortaleza. No Censo 2000, a cidade era a segunda capital mais densa, com 6.841 habitantes por km². E, mesmo que por uma diferença pequena, perdia justamente para São Paulo. A capital paulista somava 6.855 pessoas por km².

Agora, a diferença em favor de Fortaleza é de 420 habitantes por km². Em comparação com Porto Velho (RO), a última no ranking de densidade demográfica, a distância é de 647 vezes. Por lá, são apenas 12,51 habitantes por km².

Mas não foi apenas Fortaleza quem subiu posições. João Pessoa (PB), Aracaju (SE) e Palmas (TO) ultrapassaram Vitória (ES), Porto Alegre (RS) e Campo Grande (MS). Hoje, são a nona, 11ª e 22ª capitais mais densas, respectivamente. As demais mantiveram-se.

Favelas e atrativos

No caso da capital cearense, o alto índice demográfico é fruto de dois aspectos: a favelização e a concentração de serviços. Para favela, vale o conceito de construções irregulares, sem infraestrutura básica e cujos donos vivem em situação de pobreza.

O arquiteto e urbanista Renato Pequeno explica. “O início da favelização em Fortaleza se dá com a criação da cidade (em 1726). Nas áreas de favela, a população cresce mais do que nas outras áreas”.

A mestre em Negócios Internacionais Eloisa Bezerra completa. Para ela, a alta densidade daqui resulta da extrema concentração de serviços (saúde, educação, saneamento etc) em relação a outras localidades.

Isso faz migrar percentuais do Interior e até de outros estados, incrementando problemas típicos de metrópoles e verticalizando cada vez mais a cidade, com mais e mais arranha-céus surgindo em áreas nobres.

“Nos últimos anos, Fortaleza tem sido beneficiada com obras de infraestrutura. Na visão do simples morador, a cidade parece abrigar várias minicidades (bairros) dotadas de tudo o que precisa para funcionar em termos de equipamento”, comenta Eloisa. (Colaborou Janaína Bras)

ENTENDA A NOTÍCIA

Por ter território ocupado desordenadamente ao longo dos anos, Fortaleza condensa gente demais em espaço de menos. Resta ao poder público controlar possíveis novos movimentos migratórios.

Detalhamento

O Pirambu é o bairro mais denso de Fortaleza. São 26,7 mil pessoas por km². Prefeitura aponta causas e saídas para melhorar a qualidade de vida.

(Bruno de Castro – O Povo Online)

Anúncios