Russos prestaram homenagens às vítimas do ataque no aeroporto de Domodedovo (Reuters)

Investigadores na Rússia informaram neste sábado que o suicida que matou 35 pessoas no ataque ao aeroporto Domodedovo de Moscou era um homem de 20 anos da conflituosa região do Norte do Cáucaso, no sul da Rússia.

O Comitê de Investigação Federal divulgou a informação em seu site. O porta-voz do comitê, Vladimir Markin, afirmou que o nome do homem não será divulgado enquanto as investigações continuam.

O comitê informou ainda que o ataque na semana passada tinha como alvo principal cidadãos estrangeiros.

“Eu destacaria que não foi por acaso que o ato de terror foi cometido no setor de desembarques internacionais”, disse Markin na declaração publicada no site.

Pelo menos sete estrangeiros morreram no ataque ao aeroporto Domodedovo, o mais movimentado de Moscou. O setor de desembarques estava lotado, pois vários voos internacionais tinham acabado de chegar.

Entre os mortos estavam um alemão, um austríaco, um britânico, um ucraniano, e cidadãos do Quirguistão, do Tadjiquistão e um do Uzbequistão. Outros 16 russos também morreram e as 12 pessoas restantes ainda não foram identificadas.

Cerca de 180 pessoas ficaram feridas.

O presidente russo, Dmitry Medvedev demitiu várias autoridades do país depois do ataque, entre eles um chefe regional de transportes e um vice-chefe da polícia de Moscou. Medvedev culpou estas autoridades pela falta de segurança no aeroporto.

(Agência Estado)