“Um dos grandes orgulhos que tenho em minha vida de escritor é ter minha história profissional ligada à Gloria Pires”, diz o novelista Gilberto Braga. Diante de uma declaração como essa, Gloria, 48, não hesitou: fez as malas, pegou seus três filhos e deixou sua casa em Paris, na França, para retornar ao Brasil e às novelas – a última aparição dela na TV foi em “Paraíso Tropical” (2007).

O retorno estava programado. Há exatos dois anos, Gilberto Braga, em Paris, convidou a atriz para compor o elenco de “Insensato Coração”, novela das 9 que acaba de estrear na Globo.

Aguinaldo Silva até tentou tê-la em “Fina Estampa”, prevista para 2012, mas Gloria ficou com Braga. A cumplicidade dos amigos é antiga. Afinal, essa é a sexta novela da atriz com Gilberto Braga.

Braga foi cuidadoso. Queria um retorno, no mínimo, triunfal para a colega. A princípio, quem assistir ao folhetim deverá achar a enfermeira Norma Pimentel, personagem de Glorinha, como é chamada pelo autor, um pouco, digamos, certinha demais. Mas não vai demorar para a moça tirar o jaleco branco, soltar o cabelo e mostrar sua face maquiavélica.

Na essência, ela será uma mulher simples, solteirona, sem filhos, viverá em Florianópolis e não terá ambições. Até aí, nada em comum com a inesquecível Maria de Fátima, que trapaceou a amiga, chantageou a mãe e traiu o marido em “Vale Tudo” (1988), também de Gilberto Braga.

No entanto, na altura do capítulo 60, segundo Ricardo Linhares, coautor da trama, tudo vai mudar. A boa moça estará de saída de um presídio. Como? Ela será vítima de um plano do vilão Léo (Gabriel Braga Nunes), por quem irá se apaixonar nos corredores do hospital onde trabalha, e será detida.

“Ela vai ser presa por um crime que não cometeu. Na cadeia, decide se vingar”, conta Ricardo. “Mas ela não vai ser como a Maria de Fátima. O Gilberto não se repete”, explica Gloria.


A despedida de Paris

Apesar da distância da teledramaturgia, Gloria rodou três longas nesse tempo – “Se Eu Fosse Você 2”, “É Proibido Fumar” e “Lula, O Filho do Brasil”. Veio três vezes ao Brasil, em 2010, a trabalho, e se dedicou à biografia “40 anos de Gloria”, lançada no ano passado e assinada por Eduardo Nassife e Fábio Fabretti, em que relembrou personagens que marcaram sua carreira.

Mesmo com a vida tranquila que estava levando em Paris, há dois anos, Gloria está entusiasmada com o retorno ao ritmo de TV. “A Norma vai ser mais do que uma vilã, esse título de vilão é muito limitador”, diz. Os três filhos, Ana, 19, Antônia, 17, e Bento, 5, também gostaram da mudança.

Só Orlando Morais, com quem a atriz é casada há 21 anos, permaneceu no exterior. “Mas ele tem loteamento em Goiás, então sempre vem para cá”, explica. Na distância, o casal mata saudades no Skype, diariamente.

(Diário de Marília)