A dez dias da abertura dos trabalhos do novo Congresso, a oposição consome sua energia brigando entre si. O velho racha do PSDB, que opõe o grupo mineiro de Aécio Neves ao paulista de José Serra, expandiu seus limites para o DEM, e o PPS, linha auxiliar dos tucanos, está em vias de formar um bloco parlamentar com o PV, sigla da base de apoio à presidenta Dilma Rousseff.

A expectativa do presidente nacional do PPS, Roberto Freire, é a de que será possível atrair o PV para a oposição. Mas o interesse do PV é conquistar o comando da Comissão de Meio Ambiente para o deputado Zequinha Sarney (MA), filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), aliado de Dilma.

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), diz que, nos primeiros dias de fevereiro, seu partido quer se reunir com o DEM e com o PPS para discutir os rumos da oposição no Parlamento. “Sozinhos, não temos condições de tocar a oposição”, admite.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Anúncios