Luis Fernando Mendez, alias "Didier,

O guerrilheiro Luis Fernando Mendes conhecido como “Didier”, líder da Frente 21 das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e responsável por extorsões no departamento de Tolima, morreu com outros dois rebeldes durante combate com militares, informou nesta quinta-feira o Exército colombiano.

O conflito ocorreu nas últimas horas em uma região de Tolima conhecida como “El Cañón de las Hermosas”, onde as autoridades acreditam que se esconde o chefe máximo das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Guillermo Leão Sáenz, conhecido como “Alfonso Cano”.

O falecido “Didier”, conhecido como Luis Fernando Méndez López, era o responsável por extorquir os habitantes, especialmente comerciantes, de Ibagué, a capital do Tolima, e de municípios limites como San Antonio, Rovira e Chaparral, precisou o Exército em comunicado.

Dentro das Farc, “Didier” começou como guerrilheiro, franco-atirador e encarregado de conduzir explosivos, até chegar a ser o líder de finanças da Frente 21 do grupo.

Acusado dos delitos de sequestro, extorsão, furto qualificado, terrorismo, homicídio e porte ilegal de armas, entre outros, “Didier” já tinha várias ordens de prisão contra si.

ATAQUE ANTERIOR DAS FARC

Um jovem de 16 anos, neto do prefeito da cidade colombiana de Puerto Asís, no departamento de Putumayo, na fronteira com o Equador, morreu, na semana passada, após um ataque de supostos guerrilheiros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) contra as casas do político e de uma de suas filhas.

O prefeito de Puerto Asís, Mauro Toro, confirmou a morte do seu neto à versão eletrônica do diário “El Tiempo”, de Bogotá.

Segundo a “Caracol Radio”, que citou o comandante da Polícia de Putumayo, coronel Juan Alberto Libreros, os ataques utilizaram explosivos e rajadas de fuzil.

As casas do prefeito Mauro Toro e de sua filha mais velha, Sandra, ficam no bairro La Colina.

Aparentemente, a intenção dos rebeldes das Farc era sequestrar a mulher, pois sua casa foi atacada com explosivos de médio poder, assinalou Libreros.

(Folha Online)

Anúncios